Instrutores criam campanha contra a obrigatoriedade de aulas noturnas nas Auto Escolas

Todos os dias, todas as emissoras de TV mostram a crescente violência que vem assolando e acuando o cidadão. E, devido a isto, a rotina e o comportamento de algumas instituições e pessoas (principalmente nos grandes centros) vem se modificando numa tentativa desesperada de sobrevivência, em meio a uma verdadeira guerra que é travada diariamente em vários pontos das cidades do país, envolvendo policiais, forças especiais, bandidos e pessoas comuns.
Na contramão de tudo isso está a Lei federal 12.217 que, desde sua promulgação obriga TODOS os candidatos à habilitação a estarem nas ruas a partir das 18 horas; justamente no horário onde o cidadão comum está mais vulnerável a assaltos e demais ocorrências de violência.
Apesar de preponderante, o fator (in)segurança pública não é o único motivo que nos leva a combater os efeitos dessa Lei. Veja:
✓ Evitar exposição desnecessária à violência que tem assolado de forma crescente vários estados;
✓ Nenhum candidato é avaliado à noite;
✓ Fazer cessar a prática de “queimar” a digital do aluno quando este se recusa a ir pra rua por medo e/ou devido às condições climáticas desfavoráveis;
✓ Candidatos à categoria ‘A’ não podem substituir suas aulas noturnas por simulador, simplesmente pelo fato dele não existir oficialmente no Brasil;
✓ Impedir o excessivo horário intermediário não remunerado, usado para suprir os horários noturnos com a carga diária máxima permitida;
✓ Combater a prática do “banquinho”, onde o instrutor fica à disposição do CFC sem ser remunerado por isso;
✓ Abrir condições aos instrutores de aprimorarem seus currículos, permitindo estudar no período noturno, ou desfrutar com a família dessas horas livres.
Por tudo isso, conclamamos VOCÊ, cidadão de bem, a aderir a esta causa, curtindo nossa página e colocando na parte externa do seu veículo as fitinhas nas cores VERMELHO, AMARELO e VERDE, independentemente se você já é habilitado, é candidato à habilitação, ou ainda está pensando em se habilitar.
Por: Marcos Motta – Instrutor teórico e prático