Lei de Marquinho Amaral oficializou nome de Professora Ana Celina da Silva Escobal à Biblioteca da EMEB Dalila Galli

Professora Ana Celina da Silva Escobal: Homenagem a uma vida dedicada à educação pública


Foi publicada no Diário Oficial do Município a lei nº 20154, de iniciativa do vereador Marquinho Amaral, que atribuiu o  nome  da professora Ana Celina da Silva Escobal à ” Biblioteca Municipal anexa à EMEB “Dalila Galli, no Jardim Jockey Clube.

Marquinho destacou a importância da homenagem que “faz justiça à atuação da educadora exemplar, que muito se dedicou à nobre tarefa de alfabetizar e lecionou até sua aposentadoria participando da educação de muitas crianças, jovens e adultos”.

“Reconhecer e perpetuar seu trabalho educacional, dedicando seu nome a uma biblioteca é apontar para as novas gerações um grande exemplo de uma professora que abraçou a tarefa de ensinar como uma missão que cumpriu de maneira admirável”, disse o vereador.

Ana Celina da Silva Escobal nasceu em 7 de outubro de 1952. Filha de uma auxiliar de serviços gerais, Iracema Vitta Silva, e do vigia rodoviário, Sylvio Silva, teve uma infância humilde, com quatro irmãos, José, Roberto, Maria Adélia, Paulo e Joaquim.

Cursou o segundo grau “curso colegial de formação de professores” no Instituto Estadual de Educação “Aurélio Arrobas Martins” de Jaboticabal e formou-se em Licenciatura Plena em Letras e Pedagogia  pela Faculdade de Educação São Luís, naquela cidade.  Foi aprovada em concurso público do Estado de São Paulo como Professor I (Ensino Fundamental 1) em 1981 e lecionou nas escolas EEPSG Major Cosme de Faria (São Paulo), Escola da Fazenda Santana vinculada à EEPG Coronel Pinto Ferraz (Ribeirão Bonito), EEPG Prof. Gabriel Felix do Amaral (São Carlos), EEPG Prof. Andrelino Vieira, EEPG Esterina Placco e EEPG Coronel Paulino Carlos.

Uma de suas mais belas artes era alfabetizar. Ela era tão hábil nesta arte que podia atender diferentes indivíduos, de diversas idades, em diversos contextos, com diferentes necessidades educacionais e sempre produziu os melhores resultados. Na década de 90, foi convidada pelo excelente desempenho como alfabetizadora para atuar no programa desenvolvido pelo Conselho da Comunidade Solidária do Governo Federal, criado em 1997, que alfabetiza jovens e adultos nas cidades com maior índice de analfabetismo segundo o IBGE. A professora Ana Celina foi para o Nordeste e realizou importantes e impressionantes ações através desse programa.

Em 2004, foi homenageada como uma alfabetizadora de grande qualidade, ainda como professora do Estado, no Centro do Professorado Paulista (CPP). Após se aposentar como professora pelo estado, prestou concurso na Prefeitura Municipal de São Carlos. Atuou na rede municipal como Professora P2 (Fundamental 1) e professora de Língua Portuguesa até se aposentar. Lecionou nas escolas EMEB Afonso Fioca Vitali e EMEB Profa. Dalila Galli.

A educadora  participou de projetos importantes na área do trânsito e na biblioteca da EMEB Profa Dalila Galli e que receberam destaque em várias camadas da sociedade, tamanha a relevância e o impacto social que produziam.

“Sua vida toda foi de luta pela Educação e pelos bons princípios, sendo exaltada pelo sucesso de tais ações e enorme impacto social das mesmas em inúmeros momentos”, enfatizou Marquinho.

Na justificativa do projeto que foi aprovado pela Câmara e se transformou na lei municipal que oficializou o nome da Biblioteca, o parlamentar ressalta a dedicação da professora à causa pública e ao ser humano, assinalando a generosidade de uma benemérita, que alfabetizava muitas pessoas até mesmo em seu tempo livre. “ Foi um exemplo de cidadã cumpridora de todos os seus deveres e um exemplo de pessoa e profissional edificante, refletido através de sua motivação inesgotável pela Educação, como instrumento de transformação da sociedade”, concluiu o parlamentar.