Leitor pede providências à Prefeitura: “Nenhum pedestre consegue passar por esse cruzamento em horário de pico!”

Fluxo grande de veículos

Um leitor do portal entrou em contato para passar algumas fotos que o mesmo produziu no cruzamento da Totó Leite com a avenida Comendador Alfredo Maffei na noite de ontem, 6. De acordo com o rapaz, passar por ali de um lado para o outro da Marginal é impossível em horário de pico.

Ele explicou que estava a pé e se dirigia até a farmácia instalada na esquina e depois precisava se deslocar até o supermercado para comprar alguns itens necessários para sua casa. “Ocorre que quase desisti de ir ao mercado porque quando cheguei perto da farmácia vi o tamanho do fluxo de carros, fica impossível cruzar ali sem um semáforo para pedestres em horário de pico e a Prefeitura de São Carlos não faz nada”, disse o munícipe que preferiu não se identificar.

Totó Leite congestiona todos os dias

O analista de sistemas falou que demorou mais de 15 minutos para passar de um lado para o outro. “Basta você observar, veja o rapaz da bicicleta que tentava acessar à ciclovia, ele ficou um tempão ali, mas os carros continuam passando e ninguém consegue atravessar e a Prefeitura não olha para este local, vereadores todos calados, vieram aqui celebrar a retirada de um semáforo que era inútil, mas nunca pediram para recolar os equipamentos anteriores que controlavam o trânsito, agora estamos desprotegidos, uma cidade que não pensa no pedestre”, reclamou.

Fluxo grande prejudica pedestres e ciclistas

Segundo o munícipe, acidentes já foram observados ali. “Embora esteja sinalizado com faixas, placas e etc, o motorista não respeita, corta o cruzamento, já ocorreram batidas e vamos esperar alguém morrer atropelado ou se ferir gravemente para que aconteça uma intervenção nessa área?”, pergunta. “Recentemente, um caminhão cortou pela Totó Leite e um carro o acertou na lateral, o caminhão desceu e quase foi parar no córrego do Gregório, mas ninguém olha para essa região, só estão por aqui em período eleitoral”, criticou.

Muitos veículos e não há nenhum controle