Licitação: habilitada empresa para realizar estudos técnicos de concessão dos serviços do velório e do cemitério Nossa Senhora do Carmo

Cemitério pode ser concedido

A Prefeitura de São Carlos, por meio do Departamento de Licitações, realizou na última semana a sessão relativa ao Chamamento Público Nº 05/2020 – Processo Nº 2342 que dispõe sobre os estudos técnicos, projetos, levantamentos e investigações que subsidiem a elaboração do estudo de viabilidade para a concessão dos serviços do velório e do Cemitério Nossa Senhora do Carmo, localizado na avenida São Carlos, s/nº, nas intermediações dos bairros Cidade Jardim, Vila Marina e Vila Costa do Sol e a construção de novo cemitério e crematório, sendo o local adquirido pela concessionária, com prévia anuência da Prefeitura, respeitando as normas legais e exigências dos órgãos competentes.

Duas empresas participaram da sessão e a Comissão de Avaliação e Seleção dos Estudos deliberarem sobre a continuidade da Chamada Pública. Todos os envelopes recebidos foram rubricados pelos presentes e foram abertos pelos membros da Comissão, cuja documentação extraída também foi rubricada pelos presentes.

Após análise da documentação apresentada pelas empresas, a Comissão considerou a empresa Geo Brasilis Consultoria, Planejamento, Meio Ambiente e Geoprocessamento LTDA habilitada.

Agora o município aguarda os prazos de recursos (5 dias úteis) e após poderá emitir a autorização para o início dos estudos técnicos.

De acordo com o secretário de Serviços Públicos, Mariel Olmo, após a ordem de serviço, a empresa tem 135 dias para entregar o projeto. “Após a análise desse estudo, que precede audiência pública na Câmara Municipal, abriremos um processo licitatório, na modalidade concorrência pública, para então definir a empresa vencedora da concessão. Nesse projeto vão constar os custos para aquisição de uma nova área para a construção de outro cemitério e de um crematório. Também deverá apontar se a concessão deverá ser onerosa ou não, além dos custos dos serviços para os munícipes”, explica Olmo.