Locomotiva Teatral tem estreia gratuita de espetáculo “Antítese: Lado A e Lado B” nesta quarta

Mais espetáculos

Projeto também traz programação de espetáculos gratuitos até 19 de dezembro com o grupo ContaSom e o projeto Ritos de Memória.

O projeto Locomotiva Teatral exibe gratuitamente a estreia do espetáculo audiovisual “Antítese: Lado A e Lado B”, do Núcleo Lacrê, nesta quarta-feira (25), às 21h.

Antítese fala sobre a exclusão de pessoas com sofrimento psíquico do círculo social e o movimento antimanicomial. O espetáculo questiona as máscaras sociais e a busca por um controle inexistente. O projeto será exibido em duas partes, “Lado A”, na quarta (25), às 21h, e “Lado B”, na sexta (27), no mesmo horário.

Além desse espetáculo, o Locomotiva Teatral tem programação gratuita que será exibida até 19 de dezembro com o grupo ContaSom e o projeto Ritos de Memória.

As lives serão transmitidas pelo canal do Youtube da Teia-Casa de Criação e pela página do Facebook do grupo Retalho Coletivo.

Confira a programação completa:

“Projeto Antítese: Lado A e Lado B”, com Núcleo Lacrê

Quarta-feira (25) e sexta-feira (27), às 21h

Neste trabalho, o Núcleo Lacrê, grupo que dedica-se pela luta antimanicomial, fala sobre a exclusão de pessoas do círculo social. Em “Lado A e Lado B”, a insanidade e a normalidade são questionadas. Dois lados de uma mesma moeda, ou de um mesmo disco, que ao se diferenciarem, se veem iguais como: coroa e coroa, cara e cara. Ou complementares como Lado A e Lado B, duas performances que ao se diferenciarem, inteiro são.

“A Vida de Tarsila” e “A Infinita Fiandeira”, com grupo ContaSom

Quintas-feiras, 26 de novembro e 3 de dezembro, às 19h

ContaSom é uma proposta audiovisual de contação de histórias acessíveis através do teatro, da música e da internet. O projeto é formado por professores da educação especial, música e uma intérprete de Linguagem Brasileira de Sinais (LIBRAS).

Em “A vida de Tarsila”, atravessando os quadros “A Negra”, “Abaporu” e “Os operários” o grupo conta a trajetória da artista plástica Tarsila do Amaral. Quinta-feira (26), às 19h.

Em “A Infinita Fiandeira”, o enredo mostra a história de uma aranha que não pode tecer emaranhados de teias sem finalidade. Acusada de vaidosa, por se

entusiasmar com que produzia, ela enfrenta a todos e descobre que seu amor tem mais história que o seu próprio mundo. Quinta-feira (3), às 19h.

“Ritos de memória”, com Sofia, Anne, Vita e Madu

Sábados, 28 de novembro, 5, 12 e 19 de dezembro, às 20h

Em Ritos de Memória, as artistas estudam as possibilidades performáticas do gesto ritual como ferramenta de resgate e transmissão de saberes ancestrais. O trabalho é idealizado e produzido por quatro travestis que dialogam com o ar, o fogo, a água e a terra, explorando suas corporeidades e processos meditativos acrescidos de intervenções audiovisuais, do gesto orgânico ao aparato digital.