Lucão diz que MDB não aceita “interferência externa” no Governo Municipal

Lucão esteve em emissora

Em entrevista ao Jornal da Manhã da Jovem Pan de São Carlos o vereador e ex-presidente da Câmara, Lucão Fernandes, disse que o seu partido, o MDB, marcou uma reunião para hoje, 13, às 18 horas com o vice-prefeito Edson Ferraz para discutir a política na cidade. “Percebemos que há conflitos que precisam ser gerenciados, sou uma pessoa que trabalha neste campo, sempre de tentar ajustar as coisas”, afirmou.

Lucão concordou com a fala do vice-prefeito sobre a eleição. “O Edson falou aqui que as urnas deram votos ao Airton Garcia e ao Edson Ferraz, houve uma reunião de partidos antes da eleição, e eles aceitaram essa composição de Airton como prefeito e o Edson como vice, fruto dessa união de partidos, hoje os dois estão aí”, ponderou.

O vereador destacou que por conta da COVID ficou fora da política por um tempo e que lhe tem chegado informações de que ocorreram reuniões na Prefeitura e que há pessoas que são contra o vice-prefeito que é do MDB. “O partido tem seu espaço que foi permitido pelas urnas que é a vice-prefeitura e hoje temos dois vereadores na Câmara, por isso, vamos bater o pé para manter o espaço que nos foi permitido pela população para que possamos continuar governando juntos”, ressaltou.

Segundo Lucão, não é o momento de turbulências, ele entende que as arestas precisam ser aparadas, pois todos estão em início de gestão. “Temos uma cidade para cuidar e vivemos um cabo de guerra grande, a cidade não precisa dessa turbulência agora, mas sim de ajuda, especialmente na área da saúde”, analisa.

Sobre outras pessoas comandando a Prefeitura no lugar de Airton Garcia, Lucão disse que esse é um quadro desagradável. “É complicado recebemos notícias de gente que nunca teve participação política querendo dar palpites ou tomar decisões em um campo que não lhe pertence, minha esposa nunca foi na Câmara dar palpites, conversávamos em casa, acho que é preciso tomar uma postura sobre isso, senão teremos um problema grande, especialmente com os partidos que compõem esse grupo, ninguém aceitará essa interferência externa de gente que não pertence a esse campo”, acredita.

Para Lucão, se essa situação de interferência externa no governo municipal perdurar os partidos que são da base de Airton Garcia protestarão. “Entre os partidos que fazem parte do governo Airton Garcia isso pode gerar um conflito bem maior, no momento parece que existe (o conflito) somente com o vice-prefeito, estamos tomando pé da situação, mas isso pode avançar e ir além do MDB, chegar no PTB e no PL”, projetou. “Nosso prefeito tem suas dificuldades, precisamos formar um grande grupo junto com ele para podermos concluir esse mandato”, emendou.