Mais um óbito: O cruzamento da Dom Pedro com a Major precisa de semáforo

Cruzamento perigoso

Ah, mas tem sinalização no solo pintada entre a Dom Pedro II e a Major José Ignácio. Isso, realmente tem! Ah, mas tem placas de PARE na Major avisando que é parada obrigatória, sim, também tem! Mas não está resolvendo, não é? Os motoristas não estão respeitando ou estão? Recentemente, um simpático comerciante faleceu em um acidente semelhante ao que vitimou o professor Rogério Squassoni na tarde de ontem. Ou seja, alguém corta o cruzamento, um motociclista é atingido e o final é triste para aquele que estava no veículo de duas rodas.

Daí vem aqueles comentaristas de internet dizer que o cruzamento não é perigoso, mas os motoristas que são. De fato, pode até ser que isso seja verdade, porém se o motorista é perigoso se faz necessário que o poder público intervenha para regular a situação e reduzir ao máximo o perigo neste trecho da cidade.

Depois do acidente onde o comerciante faleceu o que a Prefeitura fez neste local? Só pintou o chão e colocou placas e mais nada, não é? Há locais em São Carlos onde a instalação de semáforos é bastante discutível, porém parece que o cruzamento da Dom Pedro II com a Major José Ignácio é um caso clássico de necessidade, entretanto as autoridades sequer olharam para este lugar.

Vejam, se instalou um semáforo na Padre Teixeira com a SP, local necessário, porém por que não se fez o mesmo na Dom Pedro com a Major? Mais uma vez, uma família está chorando a perda irremediável de um ente querido por causa do desrespeito às regras de trânsito em lugar onde a Prefeitura poderia ter realizado uma intervenção há tempos. Entretanto, aprender com as fatalidades do passado parece não ser um norte para homens públicos brasileiros e são-carlenses.

Em determinados lugares, pintura de solo não resolve nada, placa também não. Vamos esperar outros óbitos para instalar um semáforo neste lugar que já ceifou tantas vidas? Nem que nenhuma pessoa tivesse morrido ali, já seria necessário semaforizar aquela região, contudo estamos dormindo em berço esplêndido e vendo mais acidentes se acumularem ali. As colisões sem vítimas ocorrem com frequência.

Não posso acreditar que nenhuma autoridade de trânsito de São Carlos não tenha passado neste cruzamento e visto o perigo que ele representa para os condutores, sobretudo porque alguns simplesmente “vazam” o PARE e seguem em um preferencial pela rua Major José Ignácio que a eles não existe naquele momento. Custo a entender que ninguém responsável pelo trânsito em São Carlos não tenha notado isso.

Hoje, 30 de setembro, choramos mais um óbito, uma família ficou sem um ente querido, mais uma perda irreparável.

A pergunta que fica é: até quando? Será que nenhum vereador fará um movimento por um semáforo neste local ou ali não dá voto? São perguntas que eles precisam responder.

Renato Chimirri