Marquinho: “Se o bar fecha por causa da COVID-19, o Teatro não pode abrir para a posse do prefeito!”

Vereador fez protesto

O vereador Marquinho Amaral usou as redes sociais para protestar contra uma possível posse presencial do prefeito reeleito, Airton Garcia, e dos vereadores para a nova gestão que se inicia em primeiro de janeiro de 2021. São Carlos hoje tem 67 mortos, quase cinco mil casos e está em viés de alta nas contaminações pelo Coronavírus, por isso o vereador fez um duro protesto contra uma posse presencial no Teatro Municipal Alderico Vieira Perdigão.

“Procuro ser justo nas minhas colocações e opiniões. Eu erro muito, nunca por omissão e jamais por deixar de dizer e expressar o que eu penso, tenho personalidade. As restrições sociais existiram durante 2020, desde março, e crescem agora. Nosso Teatro Municipal ficou fechado. Teatro de Arena, que ressurgiu no governo Airton Garcia, não pode mais ser palco da arte e cultura. As escolas de ballet, os grupos de peças teatrais, os musicais e os eventos que eram acontecimentos no Alderico Perdigão, foram congelados”, destacou.

Defendendo os comerciantes, Marquinho lançou a questão: “Agora pergunto: o teatro poderá receber políticos no dia 1º de janeiro para a posse? A pandemia acabou? Dois pesos e duas medidas? Comerciante tem que parar e ter regras. Usuários do teatro idem e nós políticos, não temos que seguir as mesmas regras? Vamos começar uma nova legislatura com direitos e deveres iguais. Bar fecha, cultura fica estagnada, escola não tem, mas a festa da posse pode? Eu estou fora. Posse on-line já! Direitos iguais!”, finalizou.