Maternidade: Mamaço virtual será no dia 18 de maio

Já é orientação nacional que gestantes e puérperas passem a ser vacinadas a partir de agora, dentro dos grupos prioritários. Existem estudos que que  existem anticorpos no leite das mães vacinadas contra a Covid-19. Por conta disso, mulheres do mundo todo estão tentando reiniciar os filhos no processo de amamentação e algumas, ainda, chegam a compartilhar o leite com os bebês de amigos e parentes.

As mães recém-vacinadas têm razão em sentir o poder de proteger seus filhos com anticorpos na amamentação: pesquisas mostram que os anticorpos gerados após a vacina podem ser passados pelo leite.
A ABM (Academy of Breastfeeding Medicine)10 confirma que há pouca plausibilidade biológica de que a vacina cause danos aos lactentes e chama a atenção para os anticorpos para SARS-CoV-2 provindos do leite de mulheres vacinadas que podem proteger a criança amamentada.
Com base nisso, surgiu um movimento #lactantespelavacina que incentiva a vacinação de lactantes (independente da idade de seus filhos) a receber a vacina contra Covid-19 dentro dos grupos prioritários de Gestantes e Puérperas. Com a vacinação da lactante, é possível proteger a mãe e o bebê que recebe seu leite, sem contar ainda na possibilidade de imunizar outras crianças através da doação deste mesmo leite materno via Bancos de Leite.
Dessa forma, hoje, 18/05/21, a vereadora Raquel Auxiliadora do PT irá colocar em votação de caráter emergencial um requerimento solicitando a inclusão as lactantes nos grupos prioritários da cidade de São Carlos. A inclusão desse grupo já é realidade em várias cidades do país como Curitiba (PR) e Salvador (BH), além de ter sido aprovado por unanimidade na Assembleia Legislativa do estado do Piauí.