Médico que cuidava de pacientes na UTI em São Carlos se contamina com COVID-19 e narra sua trajetória

Marcus teve COVID-19

Por Marcus Vinícius Franzin Bizzarro

Hoje terminou meu período de isolamento/ quarentena por COVID19. Iniciei os sintomas, com um pouco de tosse que me é habitual, no dia 03/01. Não liguei, e só fiz o exame dia 05/01 após um amigo com quem eu estivera no dia 31/12 me ligar informando que estava sintomático, que fizera o exame e estava positivo. Colhi o exame no hospital onde trabalho diariamente como intensivista e sai da UTI pra minha casa. Felizmente eu e meu amigo tivemos boa recuperação, ambos com sintomas leves, apesar de sermos ambos obesos – grupo de risco para formas graves.

Tive alguns dias de dor no corpo e muito mal estar, febre baixa- derruba qualquer homem como dizem por aí – alguma dor de cabeça e pontadas de dor pelo corpo.

No entanto, apesar dos sintomas clínicos leves, como médico fui reler os dados clínicos da doença e então meu desespero começou:

Após você ter diagnóstico de Covid, sua chance de precisar ir para uma UTI gira em torno de 15% e se você estiver nestes 15% a chance de você ser intubado é de 80%.

Sua chance geral de morrer após o diagnóstico é em média 1% UM POR CENTO de chance de morrer é um número altíssimo!

Você entraria numa sala com 100 pessoas sabendo que uma vai morrer?

E não há tratamento precoce que reduza esse risco! Isso é mentira! Vamos dar nome claro então aos que propagam essa mentira: mentirosos, desonestos, gente mau caráter!

Felizmente moro em uma casa confortável, fui tratado em casa pela Mariúcha (esposa), tenho a disposição um oxímetro de pulso para acompanhar minha oxigenação-pude ser bem acompanhado por ótimos colegas médicos – que não me receitaram “tratamento precoce “

Fiquei imaginando o quanto está sendo lesivo para o povo que não tem tantos recursos a ideia de que isso “é uma gripezinha, que basta fazer tratamento precoce…”

A todos  que continuam propagando essas besteiras: que o caminho seja o inferno! Bando de hipócritas!

A todos meus amigos: cuidem se!

Usem máscara!

Mantenham o distanciamento social.

Quando estiver disponível, vacinem-se!

Marcus Vinícius Franzin Bizzarro é médico intensivista (especialista em UTI) e atua em hospitais de São Carlos cuidando de pacientes com COVID-19 e outras enfermidades.