Minha amiga Carol hoje é um anjo do céu!

Caroline Garcia Batista, um exemplo de mulher

A Carol (Caroline Garcia Batista) morava perto da minha casa no Jardim Cardinalli quando a conheci. Ela estava empurrando um carrinho de compras e eu estava passando com meu cachorro. O carrinho era pesado e então vi a dificuldade e a ajudei. Gentil como ela só sabia ser, me agradeceu muito pelo que fiz e que na verdade nem foi nada.

Passados uns dias, precisei ir até a Prefeitura para fazer uma reportagem e adivinha quem encontrei? Sim, a Carol, ela seria a entrevistada em um dos casos onde a Prefeitura estava envolvida, era o governo do ex-prefeito Newton Lima. Recordo que durante a entrevista Carol mostrou todos os pontos que pretendia discutir com o juiz e eu fiquei encantado em ver tanta competência, simpatia e dedicação numa pessoa tão simples e gentil. O mais interessante em tudo isso, foi saber que  era minha vizinha que estava à frente da defesa jurídica da cidade.

A Carol era sol, rimou, né? Mas era isso mesmo, uma pessoa que demonstrava uma garra espetacular em cada ato que praticava, por isso fico até me perguntando se no seu íntimo Deus já não havia lhe revelado que a chamaria para junto Dele tão rapidamente, afinal pessoa assim não sem tem muito por aqui.

A saudade que a Carol deixou nas pessoas é eterna de dois jeitos: o primeiro diz respeito a saber que qualquer demanda jurídica que estivesse sob sua batuta seria defendida com a mais profunda competência do mundo e depois se sabia que essa mesma moça era aquela que encontraríamos no mercado e nos provocaria profundas risadas com suas observações sempre tão pertinentes.

Uma vez na fila da padaria Carol estava na minha frente e olhou sagazmente para uma senhora que estava com um filhotinho de cão na sacola, ninguém havia percebido, só ela e eu. Ficamos rindo e Carol acenou para o cachorrinho e eu também e suas palavras foram: “Pensa numa cena inusitada!?!”

Quando fiquei sabendo de sua doença, um câncer, confesso que torci e rezei muito por sua recuperação. Foi um tempo longo até que num dia 10 de julho de 2011, um domingo, a doutora descansou e foi se encontrar com o Pai Celestial.

Uma perda irreparável de alguém que seria grande, inclusive na magistratura, se quisesse, ou então do lado da advocacia mesmo. Carol foi das melhores pessoas que vi, um espetáculo enquanto esteve conosco, a dor maior nestes casos é saber que essa partida nos é sentida até hoje. Carol ou Carola, como eu gostava de brincar, nós lhe amamos muito e temos muita saudade da sua pessoa. Fique aí olhando por nós onde estiver! Deus, cuide dela!

Aqui o currículo da ilustre advogada:

Formada em Direito, em 2000, pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo – USP/SP – Largo São Francisco, assumiu o cargo de Chefe de Divisão de Assuntos Voltados a Processos Trabalhistas da Secretaria Municipal de Administração, em 11 de junho 2002, com 23 anos. No mesmo ano assumiu como Chefe de Divisão de Controle e Instrução de Processos Administrativos da Secretaria Municipal de Governo.

 

Desde a universidade já vinha se destacando pela dedicação aos estudos e pela militância política, que permitiu a ela desenvolver uma visão integrada de como utilizar seus conhecimentos para o bem comum.

 

Em 12 de maio de 2003, assumiu o Departamento dos Negócios Jurídicos da Prefeitura de São Carlos (DNJ), sendo também a presidente da Comissão de Licitações. Já em 12 de setembro de 2005 passou a ser a Procuradora Geral do Município.

Renato Chimirri