Mistério em torno de brutal assassinato persiste em São Carlos

Prosseguem as investigações

O mistério sobre a morte brutal de Sérgio Garbim continua. Seu corpo foi encontrado no dia 27 de janeiro numa área nas imediações do Jardim Embaré com muitos ferimentos e carbonizado. Somente estes tristes fatos já são suficientes para que o crime se torne escabroso e lamentável.

Contudo, segundo o apurado, familiares da vítima estiveram na cidade e prestaram depoimento para a equipe do delegado Gilberto de Aquino na Delegacia de Investigações Gerais (DIG). Eles vieram ao município para reconhecer o corpo. Garbim foi sepultado no último sábado, dia 2.

Com 54 anos, ele teria viajado de São Caetano do Sul onde morava, para São Carlos com o objetivo de conhecer uma mulher. Ao que consta, ele teria feito contato com a mesma pelas redes sociais. O homem era divorciado e estava feliz com a oportunidade de estar em São Carlos.

Contudo, uma viagem que seria para selar um momento de felicidade se transformou numa absoluta tragédia. Já que Garbim tido como um homem pacato, de bem, sem nenhuma história de violência, foi assassinado com requintes de crueldade e depois queimado.

Pertences pessoais da vítima não foram encontrados e as investigações prosseguem para se tentar elucidar mais esse crime que chocou São Carlos e região.