Morte do médico comove comunidade acadêmica

Médico tinha 81 anos

Fundador da Famerp e um dos nomes mais importantes da cirurgia cardiovascular do País morre aos 81 anos

 

A morte do cirurgião cardiovascular Domingo Marcolino Braile, aos 81 anos, causou comoção entre alunos, professores e residentes da Faculdade de Medicina de Rio Preto – Famerp. A direção da faculdade se pronunciou por meio de seu diretor geral, Dulcimar Donizeti de Souza.

“Um grande profissional, de um conhecimento fantástico, pioneiro na cirurgia cardíaca e que colaborou muito para o crescimento da Famerp e aprendizado de seus alunos e residentes. Dr. Braile deixa um legado como professor e como médico responsável por salvar milhares de vidas por meio da cirurgia cardíaca. É um dia muito triste para a medicina e para a Famerp”, disse.

Dr. Braile morreu na manhã deste domingo, dia 22 de março, após lutar contra uma série de pneumonias.

Conhecido por ser o pioneiro na cirurgia cardíaca no interior de São Paulo, Dr. Braile foi cofundador da Famerp, em 1968, quando a instituição ainda se chamava Faculdade Regional de Medicina de Rio Preto (Farme), depois Fresa, até ser estadualizada em 1994 e chegar ao nome atual, o que gerou também uma mudança no perfil da faculdade, tanto do ponto de vista econômico, como estrutural.

Atuando em diversos cargos de direção na Famerp, Dr. Braile acompanhou de perto todas essas evoluções, sempre pensando no futuro da instituição e na melhoria do curso de medicina, tanto que um ano antes da estadualização foi o responsável pela implantação do Centro de Cirurgia Cardíaca da Famerp.

Outra contribuição de Dr. Braile para a faculdade foi na área de pós-graduação. Como pró-reitor da pós-graduação e um dos maiores apoiadores para que a cidade tivesse bons cursos de pós-graduação, foi um dos responsáveis pela criação da pós-graduação stricto sensu da Famerp.

Responsável pela formação de inúmeros mestres e doutores, Dr. Braile também era atuante nos laboratórios, considerado um dos pilares do desenvolvimento de pesquisas na Famerp. Por tanta dedicação ao desenvolvimento da instituição, Dr. Braile se tornou professor emérito da Famerp em 2009.

“Com toda certeza ele foi um dos profissionais que mais colaboraram para que a Famerp se tornasse uma das faculdades de medicina mais importantes do Brasil. Dr. Braile sempre se preocupou com a qualidade da medicina e com a excelência do ensino aos novos alunos”, disse o diretor geral da Famerp.

A Famerp se solidariza com a família do Dr. Domingo Braile e agradece por todo o trabalho de uma vida dedicada a salvar pessoas e a formar novos médicos.