Na pandemia, MAPFRE iniciou seu programa de inovação aberta

Empresa tem unidade em São Carlos

Juntamente com a aceleradora de inovação corporativa e socioambiental WaM – Worth a Million, MAPFRE identificou problemas organizacionais e buscará startups para solucioná-los

Empresa global especializada no mercado de seguros, a MAPFRE (que tem uma unidade em São Carlos) tinha como objetivo acompanhar as mudanças digitais e tecnológicas da sociedade, e implementar um programa de inovação em seus processos. Entretanto, o desafio era: por onde começar? Para Valentim Biazotti, fundador da aceleradora de inovação corporativa e socioambiental Worth a Million (www.wam106.com), que atende multinacionais como Danone e Leroy Merlin, é natural que esse processo gere dúvidas e inseguranças, mas isso não deve impedir a instalação do ciclo de inovação.

“Ao iniciar a nossa jornada com a MAPFRE, percebemos a necessidade de identificar quais eram os desafios mais estratégicos para o negócio naquele momento”, explica Valentim. “Para isso, foi necessário levantar e analisar informações com os responsáveis por traduzir e disseminar a estratégia da organização, uma vez que possuem a visão de quais são os desafios e oportunidades que a organização e suas respectivas áreas possuem. Isso, por vezes, é visto como uma etapa demorada no processo de inovação, mas é um passo fundamental. É a base para identificarmos os pontos-chave e planejarmos a melhor maneira de encontrarmos uma solução ou parceiros que possam solucioná-la”.

MAPFRE Open Innovation 

Internacionalmente, a MAPFRE já atuava com inovação desde 2018, quando foi criado o MAPFRE Open Innovation (MOI), que tem como objetivo principal o fomento da inovação e do setor de seguros. Mas apesar de ser uma iniciativa global, sua atuação é adequada ao local no qual ele se encontra. Aqui no Brasil, o programa foi criado para focar nos colaboradores e no ecossistema de inovação, identificando as dores e oportunidades de acordo com as particularidades da atuação da companhia no país. 

“Juntamente com a área de inovação, estruturamos e rodamos entrevistas com alguns executivos, captando a percepção de cada um”, explica o especialista. E foi por meio da colheita de informações e de dinâmicas posteriores, que a Worth a Million conseguiu identificar as dores e prioridades da companhia. 

“Durante todo o processo, conseguimos mapear 5 desafios a serem priorizados e resolvidos, todos alinhados com as estratégias da MAPFRE. Escutamos mais de 40 colaboradores e estamos prontos para o próximo passo: acionar startups que possam atuar na solução dos problemas”.

Atualmente, a iniciativa avalia as provas de conceito já realizadas para compreender quais serão os próximos passos da parceria entre startup e MAPFRE.

Sobre a Worth a Million

A Worth a Million (www.wam106.com) é uma aceleradora de inovação corporativa e socioambiental que apoia grandes organizações em suas jornadas únicas de inovação e transformação. Desde 2014, atua com grandes organizações, como Caixa, Carrefour, Faber-Castell, Itaú, Leroy Merlin, Mastercard, MAPFRE e Votorantim. Valentim Biazotti é fundador e conselheiro da Worth a Million.