Não ande sozinha (o) à noite na Marginal, é perigoso!

Com esse calor a caminhada depois que o sol se põe é uma das melhores pedidas para quem deseja praticar uma atividade física e desestressar depois de um dia de trabalho. A recomendação devido a pandemia de COVID-19 é que se a pessoa precisar sair, use a máscara, o mesmo se aplica aos exercícios e a Marginal (avenida Comendador Alfredo Maffei) entre o Fórum e a Educativa se transformou num polo do pedestrianismo. Muitos caminhantes (alguns desrespeitando o próximo e andando sem máscara) utilizam este espaço para o exercício. O ápice da prática se dá entre 17h30 e 20h. Neste horário, um grande número de pessoas se movimenta por ali, depois o volume vai decaindo, o que é normal e é aí que mora o perigo.

Algumas pessoas deixam para correr ou fazer sua caminhada justamente quando as calçadas e pista de ciclismo estão mais vazias e assim se tem mais espaço e tranquilidade. O que deveria ser uma excelente opção se transformou num problema. Recentemente, um homem foi assaltado por volta das 20h30 nas imediações da Praça Outubro Rosa. Um bandido, provavelmente portando um revólver, lhe rendeu e levou seu celular. Se for andar, que seja em grupo, sozinho você corre risco.

Por sorte, nada mais grave aconteceu com o pedestre, mas este não é o primeiro assalto que se tem na região. Ano passado, relatamos um homem que perseguia mulheres que faziam caminhada logo depois do posto Sewal onde se tem diversas árvores e também na rotatória da Educativa. Perto da Chaminé, um outro costuma se esconder no mato e as vezes assusta as pessoas. Este último não faz nada, porém sempre que aparece grita e deixa assustado quem apenas está andando.

O fato é que a Marginal nesta região precisa de mais segurança. A iluminação deste trecho é decadente, nem em boates as luzes são tão ruins e em muitos momentos determinados terrenos estão cheios de mato e isso facilita o esconderijo de quem quer praticar ato ilícitos. O correto em tudo isso seria que a Prefeitura insiste num projeto de iluminação, segurança e revitalização da região, inclusive com a possibilidade de instalação de câmeras de monitoramento, isso faria com que bandidos pensassem duas vezes antes de agir nessas imediações.

Do contrário, a Marginal neste trecho entre Fórum e Educativa continua sendo “terra de ninguém” e talvez as autoridades só se mexerão quando uma mulher for estuprada ou alguém terminar ferido após um assalto, antes, como sempre, ninguém liga.

Renato Chimirri