Nelsinho Pereira x Paraná Filho: denúncia de agressão e dança na frente do velório

Polêmica entre ativista e vereador

Conhecido pelos vídeos de bom humor denunciando as mazelas da cidade, o ativista Nelsinho Pereira alega que foi agredido no dia de ontem, 10, pelo vereador Paraná Filho (PSB) enquanto estava na região do cemitério Nossa Senhora do Carmo. Segundo consta, o entrevero entre as partes começou no cemitério e acabou na base da Guarda Municipal. Paraná Filho nega ter atacado Pereira.

Nelsinho registrou um boletim de ocorrência sobre o caso e disse à polícia que acompanhava a limpeza do cemitério e fazia uma transmissão ao vivo pelo Facebook. Ele conta que viu Paraná Filho e foi questioná-lo sobre a poda de árvores na avenida Santa Gertrudes em Vila Isabel, pedido que fez meses atrás.

De acordo com Nelsinho, Paraná lhe teria imputado ofensas e desferido um tapa em seu celular que caiu no chão. Quando foi pegar o aparelho, segundo Nelsinho, ele teria levado um chute.

Segundo Nelsinho, quando ele esteve na base da GM para saber como fazer um boletim de ocorrência, o vereador com mais três pessoas entrou no local e neste momento outras agressões teriam ocorrido. A GM, ao que consta, interveio e chegou até a pedir reforço. Os agressores foram embora, mas o celular da vítima sumiu.

Nelsinho passou pela UPA da Santa Felícia e fez também o exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal. Agora, o caso está nas mãos da Polícia Civil que abrirá um inquérito para apurar a situação.

 

Aqui a nota do vereador:

Por volta das 10h30min fui abordado dentro do velório pelo cidadão Nelson Pereira que, colocando o seu aparelho celular em meu rosto, passando a me gravar e a me agredir verbalmente em frente a meus familiares.

 

O referido cidadão argumentava que havia pedido a retirada de duas árvores na rua Santa Gertrudes na Vila Izabel e que até essa data as mesmas ainda não haviam sido retiradas.

 

Argumentei que, minha parte como vereador já tinha sido feita por meio do Requerimento nº 0817/18 Processo nº 1544/18 que foi aprovado pelo Plenário da Câmara Municipal e endereçado ao Departamento de Áreas Verdes da Secretaria Municipal de Serviços Públicos, que respondeu que, a retirada das arvores já estavam na programação.

 

Disse ainda, que agora só me restava cobrar o Secretário Mariel Olmo e o Diretor Jurandir Ferrante.

 

Ressalto que, minha assessoria já havia enviado cópias do requerimento com as respostas da Prefeitura Municipal de São Carlos para Nelson Pereira acerca do caso.

 

Porém, nada disso adiantou e o cidadão Nelson Pereira que continuou a gravar e a me xingar com palavras de baixo calão, dirigu-se ao estacionamento de veículos que fica em frente a Base Avançada da Guarda Municipal dançando e rebolando de forma desarrazoada, posto que, estava em um velório.

 

Porém, cerca de 2 minutos depois, em mais um ato totalmente desprovido de sensibilidade com os familiares que estavam ali velando seu ente querido, Nelson Pereira voltou rebolando e dançando novamente e, satirizando o fato de ter gravado um vídeo de minha pessoa.

 

Nesse exato momento, eu conversava com uma funcionária do cemitério por nome Priscila, quando ouvi alguns gritos e vários homens que estavam no local correndo atrás de Nelson Pereira por não tolerar tamanho desrespeito em meio a um velório, em um momento de dor e tristeza das pessoas que estavam ali velando o ente querido.

 

Nelson Pereira correu e entrou na Base Avançada da Guarda Municipal, onde havia duas Guardas Municipais. Daí então, fui rapidamente até o referido local para ver se havia alguém da minha família envolvida naquela situação, posto que, naturalmente, no velório de Alexandro estavam dezenas de pessoas de minha família, primos, tios, tias, cunhadas, irmãos, etc. posto que este era meu concunhado.

 

Quando entrei no local, Nelson estava em luta corporal com algumas pessoas e quando tive oportunidade, o imobilizei e tirei as demais pessoas que estavam em luta corporal com ele.

 

Antes de soltá-lo da imobilização, pedi ajuda para a Guarda Municipal e para alguns homens que estavam no local para conte-lo, posto que Nelson Pereira estava muito agressivo.

 

Em nenhum momento lhe agredi ou fiz com que lhe agredissem ou mesmo pactuei com que lhe agredissem, muito pelo contrário, impedi que houvesse ainda mais agressões de ambas as partes, posto que, Nelson Pereira também agredia as pessoas que ali estavam.

 

Mesmo diante do desrespeito praticado por Nelson Pereira com as famílias que estavam ali velando seus entes queridos, não acredito que a violência tenha sido a atitude correta adotada por ele e por quem com ele manteve luta corporal.

 

Sou contra todo e qualquer tipo de violência .