Nova concessão prevê construção de marginais e trechos adicionais na Washington Luís entre São Carlos e Cordeirópolis

WL parada: promessa de novas obras

O Governo de São Paulo aprovou os estudos para a concessão de novo lote rodoviário com aproximadamente 1.000 quilômetros de pistas, incluindo o trecho atualmente sob operação da concessionária Centrovias, cujo contrato termina em junho do ano que vem. Estudos preliminares apontam para investimentos de R$ 9 bilhões na nova concessão. Além de ampliação e recuperação do sistema rodoviário, o projeto prevê benefícios aos usuários como redução de até 22% na tarifa quilométrica cobradas atualmente, desconto real de 5% no preço da tarifa para quem utilizar o pedágio automático (tag eletrônico), e, ainda, um pacote de modernização adotado nas últimos concessões em relaão ao atendimento ao usuário, incluindo implantação de rede wi-fi ao longo de todo o trecho concedido, possibilidade contratual de implantação do sistema Ponto a Ponto – o modelo de cobrança de tarifa por trecho percorrido, já implantado em quatro rodovias estaduais, e a tarifa flexível.

Grande parte das principais obras previstas estão em trechos que atualmente são administrados pelo DER-SP e incluem a duplicação de cerca de 120 quilômetros da SP-294 entre Marília e Parapuã, implantação de barreira central e melhoria do acostamento em 100 quilômetros da mesma rodovia entre Parapuã e Paulicéia, duplicação de 95 quilômetros da SP-304 entre São Pedro e Jaú, além de 6 quilômetros de duplicação na SP-308, na região de Charqueada.

O trecho atualmente administrado pela Centrovias também terá novos investimentos, sendo que as principais intervenções ocorrem na SP-310 entre Cordeirópolis e São Carlos. Está previsto a implantação de aproximadamente 15 quilômetros de marginais em trechos urbanos da SP-310 e mais 75 quilômetros de faixas adicionais.

Os estudos preliminares projetam cerca de 220 quilômetros de duplicação, 100 quilômetros de barreira central, 75 quilômetros de faixa adicional e 15 quilômetros de marginais. Somente com estas obras, estima-se R$ 1,3 bilhão em investimentos para sua realização.

A nova concessão irá incorporar cerca de 800 quilômetros de trechos atualmente sob operação do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), incluindo SP-294 (Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros), SP-304 (Rodovia Luiz de Queiroz, Rodovia Geraldo de Barros e Rodovia Deputado Amauri Barroso de Souza) e SP-308 (Rodovia Hermínio Petrim). Além desta malha, o trecho atualmente sob concessão da Centrovias também fará parte da nova concessão, abrangendo segmentos da SP-225 (Rodovias Engenheiro Paulo Nilo Romano e Rodovia João Ribeiro de Barros) e da SP-310 (Rodovia Washington Luís). Outras rodovias sob administração do DER cujos alguns trechos farão parte do lote serão: SP-284 (Rodovia Manilio Gobbi, Rodovia Prefeito José Gabilardi e Rodovia Prefieto Homero Severo Lins), SP-293 (Rodovia Lourenço Louzano), SP-331 (Rodovia Hilário Spuri Jorge), SP-425 (Rodovia Assis Chateaubriand), SP-261 (Rodovia Cesar Augusto Sgavioli e Rodovia Bráz Fortundato), SP-197 (Rodovia Doutor Américo Piva), SP-191 (Rodovia Irineu Penteado, Rodovia Carlos Mauro e Rodovia Tomaz Caetano Cannavan Ripoli).

Os investimentos de R$ 9 bilhões, além dessas obras de ampliação – importantes para melhorar a segurança nas rodovias, trazer mais conforto aos motoristas e segregar o tráfego local e rodoviário – contemplam também a restauração de toda a malha atualmente não concedida, instalação de novos equipamentos e outras intervenções pontuais.

Conforme aprovado pelo CDPED – Conselho Diretor do Programa Estadual de Desestatização, a ARTESP será responsável por conduzir os estudos da nova concessão que, oportunamente, contará com audiências e consultas públicas conforme prevê a legislação. Após conclusão dos estudos de viabilidade, será amplamente divulgado o calendário de audiências e que deve ocorrer ainda em 2018.