O pedágio entre São Carlos e Araraquara é um tapa na cara da sociedade que elegeu o atual governo estadual

O equilíbrio da concessão. Essa é a justificativa para que uma praça de pedágio possa ser instalada no km 255, em Ibaté, da rodovia Washington Luís para esfolar mais um pouco o bolso do combalido contribuinte.

O mais interessante em tudo isso é que o pessoal da ARTESP tenta dar um ar técnico para mais essa cobrança indevida da população, uma vergonha sem limites. Colocar um pedágio entre São Carlos e Araraquara é um verdadeiro tapa na cara do eleitor que colocou este governo no poder e que perpetua o PSDB há anos no Palácio dos Bandeirantes.

Somente nesta terça, 26, o etanol passou da casa dos R$ 5 por litro em São Carlos, imagine você quanto sairá andar parcos 42 km até Araraquara com o combustível a esse preço mais o pedágio no meio do caminho. Para piorar a situação e com aquele ar de que estão dando um benefício ao povo eles dizem que quem usar frequentemente a passagem terá desconto progressivo, bem como os que passarem e pagarem por meios eletrônicos também  terão desconto. Como são bonzinhos, não?

Ora senhores, tomem vergonha! Deixem a nossa estrada livre. Já há pedágio em Itirapina, em Araraquara (km 282), isso para falar da Washington Luís, temos um pedágio injustificável na SP 318, rodovia da morte, perigosa, de pista simples em sua maioria com apenas um pequeno trecho duplicado e que até agora não teve anúncio de obras para a construção da segunda pista. O que vocês pensam da vida? Acham que esse programa de concessão é um sucesso? Sinceramente, conceder para cobrar do povo é fácil, trazer melhorias para outras áreas como saúde, educação e segurança pública são outros quinhentos, não?

Basta olhar para a educação pública estadual, para as escolas, para remuneração dos professores, o atendimento em saúde, para a segurança pública. Não venham com argumentos que são os melhores do Brasil, porque ultimamente o padrão brasileiro não tem sido referência para nada. Estamos em um buraco e o Estado que deveria prover quer apenas vender, privatizar e supostamente conceder para que empresas lucrem. Fica aqui a pergunta: para onde vão os milhões pagos diariamente nos pedágios paulistas?

Está mais do que na hora das autoridades olharem e apurarem como são feitos esses modelos de concessões, bem como, quais os reais benefícios que eles trouxeram para a população até agora.

Não é possível que colocar um pedágio entre duas cidades pujantes como São Carlos e Araraquara possa representar progresso para algum “cabeça de planilha” que defende esse falso liberalismo econômico.

Já deu, chega de pedágio!

Renato Chimirri