O PSDB de São Carlos precisa defender seu candidato

Netto durante entrevista na POP FM

Eu conheço o Netto Donato há anos e aqui neste parágrafo não falo do político, mas sim da pessoa: é um ser humano dos melhores, educadíssimo, pessoa de fino trato. Desconheço pessoas que digam que o Netto é arrogante e que não tem humildade.

Dito isso, vamos falar um pouco da pré-candidatura do tucano e afilhado de João Doria ao cargo de prefeito de São Carlos. Para ser consistente, a pré-candidatura que depois das convenções será candidatura necessita ser defendida pelos próceres do seu próprio partido (onde os caras estão?). O PSDB desde o mais humilde filiado até os vereadores que estão na Câmara precisam pegar o microfone e partir para defesa do projeto de Netto Donato e não ficar apenas observando seus rivais atacarem o rapaz. Posar de Catarina é bem fácil, afinal se ganhar, “nós ganhamos”, se perder: “não temos nada com isso!”

Sem um escudo forte em torno de sua candidatura, Netto não terá grande poder penetração junto ao eleitorado, pois no momento ele representa o governo estadual que vem sofrendo um desgaste grande pela prolongada quarentena em função da pandemia de COVID-19, João Doria não goza, neste momento, do prestígio que tinha quando foi eleito, pois há muitos empresários de diversos setores que estão arcando com grandes prejuízos por causa da doença e eles imputam ao governo estadual o interior ter ido para quarentena junto com a capital. Eles acreditam que o interior deveria ter entrado depois no sistema, já que a doença chegou por aqui após passar pela capital.

Entretanto, a questão de Netto Donato passa justamente por quem fará sua campanha e os seus projetos. Netto tentará mostrar alguma coisa boa (se é que tem…) do desastrado governo do PSDB em São Carlos? Basta ver a colocação do ex-prefeito Paulo Altomani em sua tentativa de reeleição para que Netto perceba que essa não é uma boa estratégia. Se quiser ter chance de ganhar, Netto terá que ser diferente, propor novidades e precisa se descolar do rótulo de continuador da gestão que passou pela cidade. Porém, nesse interim sua candidatura tem que ser defendida pelo PSDB local ou o partido dá a cara a tapa por Netto ou não conseguirá ter sucesso nas urnas.

A tarefa dos tucanos no momento parece inglória, mas não diria impossível, a eleição é sempre imprevisível e Netto conta com o bom papel que fez quando estava no MDB e acabou em segundo lugar no pleito que elegeu Airton Garcia. Todos que são do meio dizem que se a campanha naquele período tivesse mais duas semanas o resultado poderia ter sido outro, entretanto essa história ficou no passado.

O que vemos neste momento é o PSDB de São Carlo entrando no enigma da esfinge ou decifra e defende seu candidato e suas propostas ou então terá que amargar mais uma derrota nas urnas.

O próprio Antonio Donato Netto, o Netto, um cara de paz e gente boa, tem que entender que suas propostas precisam ser novas e que se enveredar pelo que o PSDB fez por aqui enquanto estava na Prefeitura corre sério risco de não atingir seus objetivos.

Mas quem sou eu para falar alguma coisa, né? Lembro bem quando fui destratado pelo ex-prefeito numa coletiva no CIESP. Portanto, alguns podem dizer que essas palavras soam como um texto de alguém que não tolera o partido. Enfim, pensem o que quiserem, eu analiso política há mais de 24 anos, algo deve ter aprendido nessa jornada.

Renato Chimirri