O que se pede à população neste momento da Pandemia de COVID-19 em São Carlos?

Máscara é obrigatória

O raciocínio é simples: no dia 6 de maio, há exatos 30 dias, São Carlos tinha confirmados 36 casos de COVID-19. Ontem, a Prefeitura divulgou a estatística mostrando que temos 192 positivados e que a epidemia se espalhou pela cidade, apesar do município erroneamente não divulgar os bairros onde estão os casos, enquanto prefeituras como Araraquara e Franca o fazem sem nenhum problema.

Em 6 de maio, tínhamos 7 suspeitos em internação, eram cinco em enfermaria e dois na UTI, haviam 3 óbitos confirmados e dois em investigação. Hoje são 22 internados, 10 suspeitos em enfermaria e 3 (também suspeitos) em UTI, além de 3 confirmados na enfermaria e 6 positivos na UTI. A taxa de ocupação de leitos de UTI do SUS está em 50%, ou seja, demos um salto ruim em termos de números nesses 30 dias e isso chama a atenção e deve representar um alerta para a população.

O alerta consiste na seguinte situação: o comércio reabriu, mesmo que com o horário reduzido e seguindo o Plano SP do Governo do Estado, foram atendidos os pedidos da classe empresarial que estava com muitos problemas financeiros, mas é inegável o avanço da pandemia no interior de SP e do Brasil, sendo assim é fundamental que as pessoas tenham cautela.

Mas o que representa essa cautela? A cautela pode ser traduzida da seguinte forma e da maneira (já exaustiva) que estamos sempre explicando: se você precisa sair de sua casa use máscara (não a deixe no pescoço como estão fazendo), leve álcool em gel na bolsa, mantenha distância das pessoas, não entre em aglomeração e não leve quem não precisa com você, ou seja, saia sozinho, cumpra seu afazer e volte para a casa, o momento é crítico, a doença está aí na cidade andando por todos os cantos e qualquer deslize pode ser um motivo para a infecção.

Oficialmente, estamos com 192 casos, mas e a subnotificação? Os testes não são feitos em grande profusão, por isso é impossível saber quantos contaminados temos realmente, dessa forma, reiteramos o pedido: se tiver que sair, se proteja ao máximo, faça suas tarefas e volte para a casa, não leve ninguém a mais, não estamos no momento de passear na praça ou então de observar como ficou a reforma do Calçadão.

Aliás, os próprios comerciantes deveriam iniciar uma campanha com esse mote: saia para o essencial e volte logo para a sua casa, porque se os números de São Carlos piorarem como vem acontecendo a cidade poderá regredir no Plano SP e isso será ruim para a atividade econômica que já foi tão destroçada pela pandemia.

O momento é de extrema apreensão, por isso é preciso se cuidar e também olhar por quem amamos.

A COVID-19 mata, as outras doenças continuam matando e somente com inteligência venceremos esse desafio.

 

Renato Chimirri