O Som do Cury e os Mutantes

Foto: Divulgação/Diário On Line

Por Marcelo Cury

Olá Galera, amantes da boa música!

Fãs ardorosos dos Mutantes talvez saibam… ou não… mas vale lembrar este pequeno episódio passado em 1962….

Bom. A verdade é que esse episódio acabou originando a melhor banda de ROCK que surgiu nesse BRAZIL… com Z mesmo como já enaltecia JOÃO GILBERTO.

Estou me referindo aos MUTANTES…. mas, não é esse o contexto da matéria/pesquisa.

O RESTO É LENDA… ASSIM COMO ESSE COMPACTO.

Suely Chagas conheceu Rita Lee em 1962, quando iam para a escola no mesmo bonde. Apaixonadas por esportes e música, fundaram um grupo vocal: The Teenage Singers. Logo tornaram-se fãs dos Beatles e conheceram os garotos da banda Wooden Faces, Arnaldo Baptista e Raphael Villardi, entre eles. Depois de apresentações em comum em bailinhos e festinhas, as duas bandas se juntaram para se tornar o Six Sided Rockers, já com Sérgio Dias na guitarra.

Suely nessa época era o destaque do grupo, tanto que foi escolhida por Tony Campello para ser a sucessora de sua irmã, Celly Campelo, que casou e abandonou a carreira musical.

Mas tudo foi por água abaixo quando Suely ganhou uma bolsa para estudar nos EUA. Quando voltou, o Six Sided Rockers havia se transformado em O’Seis, que depois virou Os Mutantes.

Sobrou então para Suely montar um novo grupo com Raphael Villardi, qua também havia perdido a boca nos Mutantes. Assim nasceu Suely e Os Kantikus, que contava com um jovem e talentoso guitarrista chamado Lanny Gordin.

O grupo gravou este único compacto pela Philips. A tropicalista “Que Bacana” tinha a cara dos festivais, mas a distorção de Lanny era tão selvagem que seria impossível a canção conquistar o grande público. O mesmo pode-se dizer de “Esperanto”, que soava ainda mais psicodélica. Depois do compacto, Suely entrou na faculdade, virou dentista e nunca mais gravou.

Texto original de  Bento Araújo   

http://download942.mediafire.com/xf07lsi1kxng/jghubyl40d848wd/Suely+e+Os+Kanti