O trauma eterno de uma menina grávida aos 10 anos

Uma menina de dez anos abusada pelo tio por muito tempo, grávida, uma criança, se transformou no centro de discussão de um fundamentalismo religioso absurdo e que nem deveria estar em pauta neste momento. Uma pequena de apenas de dez anos foi alvo de um crime hediondo, absurdo e que merece a punição mais rigorosa possível e alguns pensavam apenas se a gravidez deveria ou não ser interrompida.

Neste caso, a lei brasileira diz que sim, e precisou ser cumprida, não é o certo deixar essa criança ter um filho com apenas dez anos de idade. Ela é vítima, foi alvo de um crime nojento, certamente está muito traumatizada e terá que receber muito carinho, respeito, além do tratamento médico e psicológico necessário para poder se recuperar e seguir o curso de sua vida. Será que as pessoas que ficaram tentando invadir o hospital onde o procedimento aconteceu não pararam para pensar no que esta pequena criança está sofrendo?

A vida é importante? É, sim! No caso, neste momento, a vida dela, uma vítima de uma sociedade que produz monstros de todos os tipos e que ameaçam crianças a qualquer momento.

Eu sou pai de uma pequena de 8 anos e durante todo este domingo pude sentir na pele um pouco dar dor que essa garotinha estava sofrendo, parecia que era a minha filha que estava naquele lugar vendo pessoas que ela jamais notou na vida dizendo que estavam lutando por ela, quando na verdade defendiam apenas os seus próprios valores em nome da religião. Religião? Religião nesse momento precisa ser misericórdia com a menina que passou pela maior barbárie de sua vida, discutir a legalidade do aborto em outros casos é uma questão diferente, mas neste onde um crime foi constatado parece que não deveria nem existir controvérsia.

O Brasil entrou num caminho perigoso onde tudo tem se transformado em discussão religiosa, onde gente que se diz de “bem” tem perseguido pessoas que professam religiões que tem raízes africanas quando o país tem a ampla liberdade de culto garantida na Constituição. Estamos vivendo um momento obscuro onde parecemos caminhar para a Idade das Trevas em termos de costumes e vemos pessoas atacarem a ciência até em nome da Terra Plana, a maior barbaridade já vista nos últimos tempos. O Brasil se apequenou e se tornou mais burro de uma tal forma que precisamos de um mar de iluminismo para que essa nação volte a andar pela seara da ciência e da justiça social. Não podemos permitir que uma criança de dez anos seja estuprada, violentada, engravide e ainda por cima vire bandeira de qualquer discussão no momento sem nexo, nós precisamos crescer como nação e assumir nossos traumas.

Fico aqui pensando a todo momento que se fosse com a minha filha eu autorizaria a interrupção da gravidez justamente por causa deste crime sórdido pela qual a pequena garotinha passou. É questão de observamos pela perspectiva dela que aos 20 anos alguém lhe diria que ela teve um filho com 10, fruto de violência sexual. Dá para imaginar o tamanho do estrago que já foi feito até agora?

O Brasil é um país com gente que se diz de bem, mas que precisa realmente ver os traumas pelos quais as pessoas estão passando.

Renato Chimirri

Imagem de Pexels por Pixabay