Os vilões da transmissão da COVID-19 em São Carlos

A Prefeitura sabe que está com um problema gigante em suas mãos. Ela precisa baixar a transmissão de COVID-19 na cidade e neste momento identifica que a restrição ainda maior das atividades econômicas pode não dar o resultado esperado, afinal os comerciantes estão sofrendo faz tempo. Os homens que tomam conta da fiscalização da pandemia de COVID e o cumprimento dos decretos entendem que alguns comerciantes não cumprem as regras, mas maioria atua direito e é possível fiscalizar esse tipo de situação.

Porém, os inimigos ocultos da cidade nesta hora são outros e estão sempre acompanhados da irresponsabilidade. Os casos de COVID-19 entre os jovens tem crescido e eles tem se transformado no vetor que passa o vírus para os mais velhos que tem maior chance de desenvolver a doença em sua forma grave e acabar num leito de UTI ou até mesmo no cemitério.

O que está ocorrendo? Fácil identificar, mas difícil demais de punir. Sim, são as reuniões familiares, as chácaras de recreio lotadas e os encontros de amigos “metem o loco”. O presidente do Comitê de Combate ao Coronavírus em São Carlos, Mateus de Aquino, foi claro na sexta-feira quando esteve na Câmara Municipal. “Como fiscalizar uma casa que reúne de uma vez só de 3 a 4 famílias?”, perguntou. O presidente explicou que esse padrão tem se tornado comum em São Carlos. “Estamos numa pandemia de doença altamente contagiosa que passa de pessoa para pessoa pelo ar, essas reuniões não podem ocorrer”, emendou.

De fato, Mateus tem razão, o mesmo procedimento se repete para casos de pessoas que fazem festas de família em chácaras, de gente que continua alugando área de lazer para encontros, de jogos de futebol entre amigos quando a transmissão na cidade está completamente descontrolada e as UTIs e as enfermarias de hospitais estão abarrotados de pessoas. “E muita gente parece não ligar para isso”, desabafa.

Só hoje são 8.549 casos positivos com 97 mortos. Atualmente, estão internadas 67 pessoas, sendo 30 adultos na enfermaria (28 positivos e 2 suspeitos). Na UTI adulto estão internadas 33 pessoas (32 positivos e 1 negativo). Neste momento 4 crianças estão internadas na enfermaria, 3 com suspeita da doença e 1 com resultado positivo para COVID-19. Nenhuma criança está internada neste momento na UTI. Além disso, ainda temos pacientes de outros municípios estão internados em São Carlos (Ibaté, Dourado, Descalvado e Araraquara). A taxa de ocupação dos leitos especiais para COVID-19 de UTI/SUS está hoje em 72% (23 pessoas estão internadas em leitos de UTI/SUS. Na enfermaria/SUS estão internadas 20 pessoas. Na rede particular 14 pessoas estão internadas na enfermaria e 10 na UTI. O município conta desde o dia 22 de janeiro com 32 leitos UTI/SUS, sendo 10 no Hospital Universitário (HU) e 22 na Santa Casa (18 leitos na ala adulto e 4 na ala pediátrica).

A Prefeitura estuda hipóteses, talvez decretar lei seca por um período e ninguém vender bebida alcoólica em lugar algum? Não se sabe se essa medida poderia ser eficaz, o que as autoridades tem pedido diariamente é que as pessoas não façam reuniões entre casas diferentes, porque isso está levando o vírus de um lugar para o outro, que evitem festas, pancadões, aglomerações no kartódromo e em outros parques, pois só assim iremos diminuir a transmissão do vírus.

Em sua fala na tribuna da Câmara, Mateus de Aquino pediu que os comerciantes possam dar exemplo e funcionar dentro dos padrões de hoje, porque somente assim poderemos aguardar o deslanchar da vacinação em massa e daqui alguns meses voltarmos para uma normalidade. Regressar aos padrões anteriores é coisa para 2022, o momento chegará, porém é fundamental que respeitemos e passemos por esse pico de casos que agora está em pauta. A Prefeitura acredita que se o comércio ajudar respeitando os padrões sanitários, a fiscalização terá mais tempo para identificar aglomerações que estão transmitindo o vírus por aí. É uma tarefa árdua, contudo se quisermos sobreviver sem arranhões maiores, precisaremos vencê-la também.

Renato Chimirri

Imagem de PIRO4D por Pixabay