Pandemia de COVID: A vida dura de quem trabalha com eventos em São Carlos

Os casamentos sofreram um abalo nas agendas

Os prejuízos são incalculáveis para quem trabalha no setor de eventos devido à pandemia de COVID-19. Festas e eventos corporativos de grande porte foram praticamente todos cancelados e com isso milhares de profissionais em São Carlos e no resto do Brasil deixaram de faturar seus vencimentos corriqueiros e entraram em uma nova e dura realidade.

Um dos mais experientes do setor, o repórter fotográfico Fabio Maurício, da Lapela FotoArte contou que muita coisa realmente mudou. “Na pandemia, tive 38 casamentos remarcados de 2020 para 2021. Isso afetou demais, pois fazemos apenas um evento por dia e as datas de 2021 foram preenchidas praticamente  com as  remarcações de 2020”, disse.

Ele explicou que a falta de dinheiro prejudicou a organização e o planejamento de um casal, por exemplo, que pretendia celebrar uma união, porém o desejo ainda se faz presente. “Por conta da pandemia alguns casais tiveram problemas financeiros e atrasaram pagamentos.  Tive apenas dois cancelamentos (de um ano para o outro), isso mostrou que o sonho não deixou de existir”, analisa.

Entretanto, Fabio explicou que a pandemia modificou o porte dos eventos e a forma como eles são realizados. Hoje, por exemplo, devido a Fase Vermelha do Plano SP de Combate ao Coronavírus, eles estão proibidos. “Hoje muita coisa mudou, os eventos quando podem ser feitos são bem menores, poucas pessoas, distanciamento, máscaras, mas muito amor”, diz.

Para se adaptar às mudanças foi preciso jogo de cintura. “No começo foi muito difícil, não sabíamos o que ia acontecer e esperávamos uma solução rápida, mas já se foi mais de um ano desde o começo da pandemia. Pode-se perceber uma união maior dos fornecedores em manter os sonhos dos casais em pé. Os noivos tiveram um desgaste psicológico muito grande e, nós, os fornecedores tivemos que lidar com tudo isso, além do estresse, falta de dinheiro para o setor de eventos e etc. Isso desgastou muito os profissionais também”, conta.

Além dos tradicionais casamentos que ocupam parte da agenda desses profissionais, os eventos empresariais desapareceram e com isso parte da renda dos empreendedores do setor também foi cortada. Fabio ressaltou que isso é uma nova realidade e que agora a esperança é ver a vacinação avançar para que as atividades comecem a retornar com regularidade.

Proprietária da Carol Plépis Cerimonial e Eventos, a jovem que empresta seu nome para a empresa também contou à reportagem a dura realidade enfrentada pelo profissionais de eventos. “Em média, sempre preparei e organizei 120 eventos por ano, porém em 2020 fiz apenas dois”, conta.

Carol contou que a área foi completamente prejudicada pela pandemia de COVID e que pessoas que trabalham com ela no setor perderam empregos e também buscaram complementar a renda com outras atividades.

Profissionais do setor de som que faziam mais de 100 eventos por mês também foram profundamente prejudicados. Todos são unânimes em dizer que a esperança é ver a vacinação avançar para que uma parte da antiga realidade possa ser recuperada, pois atualmente é impossível atuar neste setor por conta da proibição de festas em virtude das aglomerações.

Por Renato Chimirri

Fotos: Fabio Maurício