Papa Francisco declara religioso de Casa Branca como venerável

Irmão foi declarado venerável/ Fonte: Diocese de São João da Boa Vista

O Papa Francisco recebeu em audiência em 27 de outubro o Prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, Dom Marcello Semeraro, oportunidade em que autorizou a mesma Congregação a promulgar os decretos que reconhecem alguns milagres, martírios e virtudes heróicas. Entre estes, o martírio da Serva de Deus Isabel Cristina Mrad Campos, morta por ódio à fé em Juiz de Fora em 1º. de setembro de 1982 e as virtudes heróicas do Servo de Deus Roberto Giovanni, nascido em Rio Claro-SP, em 1903.

Ir. Roberto Giovanni, como irmão coadjutor, viveu a maior parte de sua vida na cidade de Casa Branca. Rigoroso consigo próprio, transbordante de amor para com os outros, dedicou-se aos trabalhos domésticos, ao serviço paroquial e ao Santuário Nossa Senhora do Desterro, à assistência espiritual ao povo, principalmente aos pobres e doentes. Sua amabilidade e simplicidade atraíam a todos, simples ou doutos.

Em novembro de 1993 Irmão Roberto, já enfermo, foi morar em Campinas na casa de repouso dos Padres e Irmãos Estigmatinos. Com o passar dos dias foi acometido de uma pneumonia, deixando seu pobre físico muito debilitado. A sua páscoa definitiva aconteceu às 15 horas do dia 11 de janeiro de 1994, aos 90 anos de idade. O povo de Casa Branca quis que seu corpo fosse sepultado no mesmo Santuário onde ele serviu pela maior parte de sua vida. Foi sepultado ao lado do altar-mor, no lugar exato onde, em vida, costumava rezar.

Após sua morte, o fato de as pessoas o terem como santo e, pelas graças alcançadas por sua intercessão, foi aberto o Processo Canônico para a sua Beatificação e Canonização.


A Diocese de São João da Boa Vista, através de Dom Antonio Emidio Vilar, SDB, e a Congregação dos Estigmatinos, elevam a Deus grande louvor de gratidão. Nessa quarta, 28 de outubro, nosso querido Ir. Roberto Giovanni, que viveu a maior parte de sua vida em Casa Branca-SP, foi declarado Venerável pela Igreja.

Fonte: Diocese de São João da Boa Vista