Para novos leitos de UTI COVID, Santa Casa fecha Pronto-Atendimento em São Carlos

Ilustração de leitos de UTI/Divulgação

A Santa Casa anunciou algo importante em parceria com a Prefeitura nesta quarta, 10. São 12 novos leitos de UTI para o tratamento de COVID-19 num momento em que a região tem 92,8% das suas vagas ocupadas e praticamente se tornou o centro da pandemia de Coronavírus no interior do Estado de SP. A questão que mais intriga em tudo isso é a seguinte: depois que a pandemia passar (e esperamos que seja breve) o Pronto-Atendimento será reaberto? Todos sabemos da contenda da Prefeitura e do hospital pelo atendimento referenciado na Santa Casa, assim como acontece hoje no Hospital Universitário, portanto temos que pensar à frente e crer que em breve a vacinação abaixará taxas e a vida normal começará a ser retomada gradativamente.

A alegação para o fechamento do Pronto-Atendimento está na dificuldade de se encontrar mão de obra para trabalhar no hospital e assim as equipes que hoje estão nestes locais passarão a “mexer” com a COVID-19, podemos até dizer que isso é ficar entre a cruz e a espada, afinal um pronto-atendimento é algo sempre inesperado, com o Coronavírus a situação é a que todos já conhecem com uma doença altamente contagiosa e perigosa, ou seja, não tem “mamão com açúcar” nesta parada para os trabalhadores da saúde. Que eles tenham sorte e bênçãos…

Segundo divulgou a Santa Casa, as mudanças ocorrerão a conta-gotas. Em um texto de sua assessoria de imprensa o hospital diz: “de sexta-feira (12) a segunda-feira (15), o Pronto Atendimento vai funcionar das 7h às 19h. A partir de terça-feira (16), os atendimentos serão suspensos e os profissionais remanejados para preparar os novos leitos de UTI COVID. Quem antes se dirigia ao Pronto Atendimento, deve procurar pela UPA mais perto de casa”.

Então, procurar a UPA mais perto de casa, né? Esse é o X da questão e aqui entra a Prefeitura. Se a Prefeitura falhar com estrutura e equipes o que pode ocorrer com os casos que sobrarem e não forem COVID? Agora, teremos o verdadeiro teste final para o sistema de saúde da Prefeitura em suas três UPAs (Vila Prado, Santa Felícia e Cidade Aracy). Se ele funcionar a contento, fica a pergunta: será que o Pronto-Atendimento da Santa com “portas abertas” voltará a funcionar? Esta é a pergunta que não quer calar e como se diz na gíria “vale ouro como resposta”.

Em mais uma fala, o secretário de Saúde, Marcos Palermo explanou sobre o que será feito pela administração municipal: “Vamos reforçar nossas equipes nas três Unidades de Pronto Atendimento e, se necessário, complementar nossas escalas. Vamos absorver os pacientes que hoje são atendidos pelo SMU da Santa Casa, a população não vai ficar desassistida. E, ao mesmo tempo, conseguiremos oferecer novos leitos de UTI/SUS COVID, garantindo vagas aos pacientes em estado avançado da doença”, garantiu Marcos Palermo, Secretário Municipal de Saúde, lembrando que as pessoas com sintomas da COVID-19 devem se dirigir diretamente ao Centro de Triagem de Síndrome Gripal localizado no Ginásio Milton Olaio Filho, deixando dessa forma as UPAS do Aracy, Santa Felícia e Vila Prado para atender emergências de outras áreas. Convém destacar, de maneira justa, que essas aspas também vieram da assessoria de imprensa da Santa Casa.

A sorte está lançada. Que o sistema seja aprimorado nas UPAs e novos leitos sejam oferecidos e que nenhum político tente ser o pai da criança em tempos de pandemia e de matérias pasteurizadas de maneira institucional.

Renato Chimirri