Passar o rodo: a expressão infeliz usada pelo vereador Leandro Guerreiro

Eu disse aqui em outras oportunidades que admiro algumas atitudes do vereador Leandro Guerreiro no que diz respeito a ser um cara que “mete a boca” no que julga estar errado. Mas ontem, 16, durante a sessão da Câmara acredito que o vereador tenha cometido um erro ao dizer que “passa o rodo” na mulherada.

Leandro estava criticando seus desafetos na Tribuna da Câmara, externou até que estaria sofrendo uma perseguição, e que em diversos lugares que vai é fotografado e que as fotos chegaram até a diretoria legislativa da Casa de Leis. Segundo o próprio, ele foi fotografado com o vereador Julio Cesar num restaurante, com a assessora do vereador Lucão, bateram fotos dele com uma amiga, no shopping e no Broa. “Estava comendo um peixinho e chegou foto minha para o diretor da Câmara, eu virei celebridade para essa turma do mal, eles querem saber quem é a novinha que estou ficando, o boato do zap é que eu engravidei a minha estagiária, mas eles investigam muito pouco, porque se investigassem melhor a minha vida iriam saber que já fiquei com umas quatro estagiárias de vereador aqui na Câmara. Eu passo o rodo! Bobeou na minha eu pego mesmo! Ainda mais solteiro!”

Não vou entrar no mérito da briga do vereador com os seus desafetos, mas acho que Leandro agiu mal ao escolher as palavras usadas ontem e deveria refletir mais sobre o que falou. Se ficou ou não com quatro estagiárias isso diz respeito apenas a ele e as pessoas que estão envolvidas na sua aventura amorosa, a sociedade são-carlense não tem interesse nenhum em saber disso e aliás, aqui também acho extremamente grave, se for verdade, esse lance do vereador afirmar que está sendo perseguido. Por que lhe fotografam? O deixem em paz e fazendo o que bem quiser, mas isso também não dá direito ao parlamentar de dizer que passa o rodo, em tempos de afirmação dos direitos femininos, essa expressão não pega bem, soa como um desrespeito.

Não tenho nada contra o vereador ser “namorador”, ainda mais se está livre e desimpedido, afinal tem a prerrogativa de se relacionar com quem bem entender, mas ele precisa escolher melhor suas palavras, afinal quando usa a tribuna da Câmara está se “relacionando” com toda a cidade.

O Leandro Guerreiro combativo vereador, homem do chicote, que já foi personagem de inúmeras matérias aqui no São Carlos em Rede, hoje merece essa modesta crítica justamente para que possa melhorar ainda mais seu relacionamento com o público, afinal se ele pretende ser candidato a prefeito de uma cidade como São Carlos é fundamental que entenda que a mulher não serve apenas para que “passe o rodo”, ao contrário a mulher é uma protagonista de muita importância para nossa sociedade, pois está presente e de maneira brilhante em todos os setores são-carlenses e em muitos casos desempenhando papeis que os homens não conseguiriam levar a frente.

Acredito que o Leandro fará uma reflexão e entenderá que suas palavras, na ânsia de se expressar contra seus desafetos, foram infelizes, afinal de contas a mulher além de nos brindar com sua leveza em nosso dia a dia, também é atualmente comandante de inúmeras ações marcantes na sociedade brasileira.

Elas merecem todo nosso respeito, carinho e dedicação! Salve, mulherada!

Renato Chimirri