Pesquisa da UFSCar analisa impactos de abuso, agressão e violência sexual no âmbito universitário

UFSCar: atividades regulares em discussão
Podem participar universitárias, maiores de 18 anos, com histórico de abuso e que não tenham sintomas psiquiátricos

 

A pesquisa “Nos reconhecendo: Cartografia do corpo em estudantes vítimas de abuso, agressão e/ou violência sexual no âmbito universitário”, desenvolvida na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), está buscando voluntárias para avaliar o impacto no corpo e no desenvolvimento sexual de pessoas que sofreram situações de abuso dentro do ambiente universitário. Podem participar universitárias mulheres (cis, trans), com idade igual ou superior a 18 anos e que tenham experienciado ao menos um episódio de abuso, agressão ou violência sexual durante o período em que estiveram na universidade. As voluntárias não podem apresentar sintomas psiquiátricos ou transtornos de personalidade diagnosticados.

O estudo é realizado por Giselle Alejandra Pincheira Navarro, mestranda no Programa de Pós-Graduação em Psicologia (PPGPsi) da UFSCar, sob orientação de Sabrina Mazo D’Affonseca, docente do Departamento de Psicologia (DPSi) da Instituição.

As voluntárias responderão a este questionário online (https://bit.ly/3b2tLsk), que contém perguntas relacionadas à caracterização do caso e para rastreamento de sintomas psicológicos. O tempo estimado de resposta é de aproximadamente 25 minutos. Posteriormente, a pesquisadora poderá entrar em contato com as participantes para a realização de uma entrevista individual. O sigilo é assegurado. Após a coleta de dados, caso seja identificada a necessidade de apoio psicológico, as voluntárias poderão ser encaminhadas para serviços de saúde. 

De acordo com Navarro, com a participação no estudo, as pessoas irão contribuir para gerar conhecimento sobre as situações de abuso, agressão e violência sexual no âmbito universitário, ajudando a tornar visível a temática da violência seja física, psicológica ou sexual. “É importante discutir esses temas como um problema social e de saúde pública e dar a necessária atenção às vítimas, bem como sensibilizar não só a comunidade universitária, mas também a população em geral”, defende a pesquisadora.

Com os dados coletados, o trabalho pretende auxiliar na produção de informações necessárias para futuras pesquisas sobre o assunto da violência de gênero dentro das relações universitárias, trazendo, para debates, o corpo e a sexualidade como elemento essencial do bem-estar. Também pretende colaborar no planejamento e na execução de programas de intervenção e prevenção dentro da política universitária.

Mais informações estão disponíveis no formulário (https://bit.ly/3b2tLsk) e dúvidas podem ser esclarecidas pelo e-mail gis.pincheira@gmail.com. Pesquisa aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da UFSCar (CAAE: 15113119.6.0000.5504).