Pesquisador da Embrapa, Silvio Crestana participa da sessão de aniversário da Hassan II Academia de Ciências e Tecnologia

Crestana é pesquisador da Embrapa

O pesquisador da Embrapa Instrumentação (São Carlos – SP) Silvio Crestana participa, entre os dias 18 e 20 de maio, da sessão de aniversário da Hassan II Academia de Ciências e Tecnologia, no Marrocos. Membro perpétuo desde 2006, nomeado pelo Rei Mohamed VI, o ex-presidente da Embrapa (2005-2009) vai apresentar um plano em temas estratégicos para fortalecer a parceria entre as instituições e países.

Na capital Rabat, Crestana vai se reunir ainda com a equipe científica da Faculdade de Ciências – Universidade Mohammed V. A cooperação deve envolver ações em agricultura digital e de precisão, nanotecnologia, agro-fotônica e biofertilizantes, temas considerados prioritários na agenda de inovação e negócios do Brasil, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e da Embrapa.

“Do ponto de vista prático, articularemos encontros virtuais e presenciais entre as equipes científicas do Marrocos e do Brasil – sob a coordenação da Embrapa Instrumentação – nos temas selecionados, para o desenvolvimento de projetos que tragam resultados que causem impacto nas atividades cotidianas dos produtores rurais dos dois países”, explica Crestana.

Exportação de fertilizantes

O setor agrícola emprega mais de 4 milhões de pessoas em Marrocos, e 100 mil na agroindústria; a agricultura contribui com 19% do PIB nacional. O país – que possui 70% de todo o fosfato do mundo – exporta adubos e fertilizantes, superfosfatos e fosfatos de cálcio para o Brasil e importa milho em grãos, açúcar, óleos combustíveis, pimenta em grãos e fumo em folhas.

“Num momento em que nossa dependência de fertilizantes fosfatados do Marrocos se torna estratégica, é fundamental buscar novos caminhos via ciência para que o Brasil mantenha o papel de protagonista na produção mundial e na agricultura tropical”, comenta o pesquisador.

“E já temos exemplos nessa direção, a startup Agrorobótica, gerada a partir de tecnologia da Embrapa Instrumentação, foi consultada pela estatal marroquina OCP e manifestou interesse em possível compra de equipamento e serviços. A OCP lidera as vendas de fosfatos para o Brasil, é a maior produtora de fosfato do mundo, líder mundial em fertilizantes e, recentemente, assinou acordo de cooperação com a Embrapa”, finaliza Crestana.

Na semana passada, o ministro da Agricultura Marcos Montes e o presidente da Embrapa Celso Moretti estiveram em Marrocos para discutir a instalação de uma unidade processadora de fosfato da Companhia Office Chérifien des Phosphates no Brasil, além de uma parceria em bioinsumos entre a Embrapa e a Universidade Politécnica Mohammed VI (UM6P).

Composição e homenagem

A academia de Ciências do Marrocos é composta por 90 membros, 30 são membros nacionais com estatuto de residentes, 30 são cientistas estrangeiros qualificados como associados, e 30 são membros correspondentes compostos por personalidades científicas nacionais e estrangeiras.

Inclui seis faculdades científicas: Ciências da vida; Ciência e técnicas do meio ambiente, terra e mar; Física e Química; Modelagem e ciência da informação; Engenharia, transferência e inovação tecnológica; Estudos estratégicos, desenvolvimento e economia.

A Academia organiza uma sessão plenária por ano, onde o público em geral pode ser admitido a convite. Na reunião de maio, o evento também será marcado por uma homenagem ao professor Alberto Sasson, membro da Academia e diretor do Life Sciences College.