Pessoas com comorbidades devem ser as próximos a receber vacina contra a COVID em SP

Novas doses de Coronavac/Marcelo Camargo

Depois de anunciar a vacina contra a COVID para a faixa etária de 60 a 64 anos, o governo do Estado de SP projeta vacinar pessoas com as chamadas comorbidades. A informação foi divulgada durante entrevista coletiva do governador João Doria na tarde desta quarta, 14, no Palácio dos Bandeirantes. Doria voltou a dizer que o Brasil precisa de mais vacinas, porém enalteceu que essa faixa deve ser o próximo “alvo”.

Para quem não sabe, a comorbidade patogênica ocorre quando duas ou mais doenças estão etiologicamente relacionadas; comorbidade diagnóstica ocorre quando as manifestações da doença associada forem similares às da doença primária; e comorbidade prognóstica ocorre quando houver doenças que predispõem o paciente a desenvolver outras doenças.

São exemplos:

Hipertensão arterial é a comorbidade patogênica que mais predispõe a acidente vascular cerebral

Diabetes mellitus é uma comorbidade prognóstica que predispõe a insuficiência cardíaca

Depressão nervosa é uma comorbidade fortemente correlacionada com transtorno de ansiedade