Plataforma digital desenvolvida na USP de São Carlos auxilia na detecção de notícias falsas

Uma das inspirações do projeto foi uma ferramenta para detectar fake news desenvolvida pela USP e pela UFSCar em 2018 (crédito: Memyselfaneye – Pixabay)


Desenvolvida por especialista em probabilidade e estatística do ICMC-USP, a plataforma tem 96% de precisão em verificação de notícias de acordo com a semântica, linguagem e vocabulário

Plataforma virtual desenvolvida por pesquisadores do Centro de Ciências Matemáticas Aplicadas à Indústria (CeMEAI), do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP em São Carlos, auxilia população na detecção de notícias falsas com 96% de precisão. Marcos Jardel Henriques, doutorando em Estatística no Instituto de Ciências Matemáticas e Computação (ICMC) da USP em São Carlos, explica as principais características da plataforma de detecção de fake news ao Jornal da USP no Ar 1ª Edição.

De acordo com Jardel, a plataforma foi pensada inicialmente diante do atual contexto globalizado em que a população é bombardeada por informações em todos os meios de comunicação. “Tivemos a ideia de montar uma plataforma para quando as pessoas tivessem dúvida sobre a veracidade de alguma notícia, copiasse uma parte ou a informação toda para verificar”, explica Jardel, que lembra o uso de modelos estatísticos e bancos de dados usados na construção da ferramenta.

Ele esclarece que foram consultadas e coletadas mais de 100 mil notícias em textos para treinar modelos estatísticos com o tipo de semântica e, principalmente, o tipo de vocabulário usado ao longo dos últimos anos. “Depois eles foram testados em outros bancos de dados preparados por outros grupos de pesquisas que trabalham com o processamento de linguagem natural”, diz.

Para utilizar a plataforma, ele sugere que se use o máximo de informações para serem analisadas. “Quanto mais informação você colocar, melhor a plataforma vai entender o contexto, a semântica, se o texto está bem elaborado ou feito de modo simplista”, explica. Ele também destaca que as probabilidades demonstradas pela ferramenta têm 96% de precisão. “É bom lembrar que, conforme os meses passam, temos que recalibrar e atualizar a plataforma porque surgem novas informações e nomes novos”, complementa.

Mercado de criptomoedas e acompanhamento de covid-19 – O projeto foi desenvolvido durante o curso de pós-graduação Mestrado Profissional em Matemática, Estatística e Computação Aplicadas à Indústria (Mecai) e nele também foram desenvolvidas outras duas plataformas: uma de análise de antecipação do valor de mercado de criptomoedas e outra referente ao acompanhamento de óbitos por covid-19 em âmbito municipal. A ferramenta de análise de notícias foi desenvolvida por Jardel e conta também com a direção do professor do ICMC, Francisco Louzada Neto, e do também doutorando Daniel Camilo Fuentes Gusmán.

Para consultar se alguma informação é verdadeira ou não, basta acessar a plataformar fakenewsbr, copiar e colar a informação que se quer avaliar e verificar.

Texto: Jornal da USP