Polícia Civil perto de identificar travesti morta de maneira cruel em São Carlos

Bruna tinha 26 anos

A Polícia Civil de São Carlos está perto de identificar a travesti que foi morta e encontrada com as mãos e pés amarrados no último domingo, 15, na SP 215, rodovia professor Luís Augusto de Oliveira.

A suspeita é de que a vítima possa ser Bruna Torres, que era de Manaus, no Amazonas. Os policiais de São Carlos investigam o crime. Segundo consta, Bruna teria o nome de batismo de Jeferson e tinha 26 anos. Os investigadores de São Carlos já promoveram contato com a família que mora no norte do país.

O reconhecimento preliminar veio através de uma tatuagem na coxa da vítima e de amigos, porém a equipe chefiada pelo Delegado Gilberto de Aquino, da DIG, segue trabalhando no caso e quer desvendar o que houve para que Bruna tivesse esse cruel destino.