Quando a mesquinhez política fica de lado, São Carlos avança rapidamente

Trabalho conjunto resulta em benefício para a cidade/Foto: Glorinha Saratt

A foto captada pela jornalista Glorinha Saratt é emblemática: Oswaldo Barba, Airton Garcia e Paulo Altomani juntos, os três últimos prefeitos da cidade e ainda falta colocar na lista Newton Lima. Esses são os políticos que trabalharam para que o aeroporto de São Carlos fosse internacionalizado e hoje, neste dia 21, vemos que a união deles proporcionou à São Carlos um status que poucas cidades possuem e ainda mais, assegurou empregos na LATAM através do seu centro de manutenção, isso sem contar que novas vagas poderão surgir. Aliás, Airton Garcia aposta em pelo menos 500 novos empregos. Vale dizer que o ex-deputado Lobbe Neto também participou dessa conquista.

Esses políticos compreenderam nesse caso da LATAM que a cidade poderia perder e muito sem a internacionalização afinal de contas qual a empresa quer deixar um avião para manutenção no país e esperar pelo menos quatro dias apenas para o desembaraço alfandegário? Isso, num mercado tão competitivo como o da aviação, representa prejuízo e o MRO de São Carlos corria riscos sem esse processo concluído.

Porém, a visão desses prefeitos demonstrou que se todos trabalharem em projetos estruturantes, é possível que São Carlos consiga outras vitórias na área do desenvolvimento econômico. De que adianta um prefeito assumir o cargo e matar tudo o que o seu antecessor fez de bom?

Esse tipo de prática deveria ser crime, o prefeito que desmonta programas importantes deveria ser afastado do seu cargo, pois está prejudicando diretamente pessoas, normalmente carentes, que são beneficiadas por práticas iniciadas em outros governos.

São Carlos é maltratada há anos pela vaidade política de muitos. Vemos isso no âmbito do legislativo e no executivo, as vaidades impedem o município de crescer, tanto isso é verdade que hoje não temos mais um deputado em qualquer esfera eleito pela população são-carlense e isso tudo se dá justamente porque sempre temos números exagerados de gente inexpressiva se candidatando, bem como porque os partidos políticos não conseguem dialogar entre si para impor à sociedade um projeto de desenvolvimento em torno de pessoas capacitadas para exercer um cargo político.

Os partidos na cidade são vaidosos e refletem apenas o que vemos em âmbito nacional, afinal de contas que aliança política funciona no Brasil sem o chamado “toma lá dá cá”? Basta ver as notícias sobre as negociações do atual governo para a Reforma da Previdência. Nada de novo aparece no front.

São Carlos, uma cidade de política mesquinha, deu um exemplo de altivez no caso da LATAM. Quem sabe essa não seja a primeira de muitas outras conquistas mostrando que a cidade pode fazer política de maneira diferente, não é? Aguardemos os próximos passos.

Renato Chimirri