Quando sua amiga vai para a UTI/COVID

UTI: um lugar de recuperação

Eu tenho escrito muito sobre a pandemia de COVID-19 e os impactos em São Carlos e nas cidades da região, mas uma notícia me deixou muito triste na noite de ontem. Uma querida amiga (vou preservar o nome) está internada em Unidade de Terapia Intensiva com os pulmões afetados pelo Coronavírus em um hospital da nossa região.

Ontem mesmo falei com seu pai, um senhor idoso, que me disse que a filha é forte, que está lutando, que apresentou melhoras, porém sempre fica aquela apreensão, aquele medo de se perder alguém que amamos e eu amo muito essa minha amiga querida. O seu pai resumiu a situação dessa forma: “Reze por ela!”

É o que tenho feito desde então. Estou rezando por essa amiga que também é mãe, uma pessoa de fibra, competente, bonita, inteligente, uma pessoa de enormes predicados e que encanta a todos com seu jeito despojado de lidar com as coisas.

Não é possível saber como ela contraiu esse vírus maldito que está destruindo famílias e matando pessoas, entretanto fica apenas a certeza de que temos que nos cuidar, esse foi o recado que seu pai me passou, pois ainda não temos a vacina para todo mundo e precisamos que ela venha em breve. Nesse momento, só distanciamento, as máscaras, a limpeza das mãos e a fuga de aglomerações poderá nos manter livre do vírus que está mais forte, mais transmissível e mais letal.

Minha amiga está isolada, sofrendo, passando por algo que só quem já teve sabe o quanto é dolorido e as incertezas que essa situação gera, por isso fico aqui de queixo caído vendo gente podre, pessoas com desvio de caráter, falando que a doença não existe, que isso é uma mentira e que tudo é fabricado. Me pergunto todos os dias: de onde saiu esse pessoal? Quem são esses seres que se dizem humanos e que não acreditam na maior pandemia do século XXI  e uma das maiores da história da humanidade?

Esse pessoal que duvida da doença entrará direto para a lata de lixo da história, porque dói meu coração saber que uma das minhas mais queridas amigas está passando tão mal no dia de hoje por causa desse vírus tão difícil de ser domado. O que nós homens fizemos para merecer isso? Talvez a resposta seja clara: há tempos com tantas atrocidades que cometemos e com a falta de amor ao próximo, aos animais e à natureza estejamos colhendo o que plantamos na estrada da vida.

É o momento de uma profunda reflexão, eu espero que minha amiga se recupere e quero que todos os doentes de qualquer enfermidade fiquem curados e aproveito para expressar meu sentimento de dor e tristeza por aqueles que pereceram.

Renato Chimirri