Quando um professor morre, a esperança de um mundo melhor fica menor

Leandro: amado por alunos, amigos e familiares Foto: Facebook

Vendo os depoimentos dos alunos e amigos do professor Leandro Belucci foi possível observar o quanto ele era competente como mestre e também um ser humano ímpar na qualidade de amigo. Todos que falaram sobre o professor demonstraram que suas aulas não eram apenas sobre a literatura, mas também sobre a vida, o que coloca um sentido ainda maior no seu legado para as gerações que ajudou a formar pelas classes que passou.

Ser professor é uma dádiva rara que poucos conseguem possuir e cultivar de maneira competente e Leandro certamente foi um deles, mesmo não o conhecendo pessoalmente posso imaginar a dor que todos que o amavam estão sentido, pois já fui professor e sou casado com uma professora universitária e sei o quanto é preciso ter dedicação, lutar e não esmorecer nessa profissão, afinal é o professor que está ali para abrir a mente dos alunos, formá-los, lhe mostrar a vida e acima de tudo incutir em cada um os valores humanos fundamentais para uma sociedade mais fraterna e justa. Não há profissão mais bela que a de professor, o sacerdócio do ensino é para poucos e era para Leandro, de maneira cristalina, algo que o motivava diariamente.

Essa tragédia que lhe tirou a vida neste sábado me deixou em choque porque minha esposa passou por ali logo depois, afinal esse é um caminho que fazemos sempre pela SP 255 quando retornamos de Franca para São Carlos e no momento do acidente fiquei sem ar, pois conheço bem o local e lamentei muito que pessoas de bem tenham morrido neste lugar. Espero que as autoridades esclareçam rapidamente o que houve e possam punir eventuais culpados, se eles existirem.

Mas aqui quero novamente falar dos professores, muita gente que os crítica,  apoia governos que defendem a perseguição e a desvalorização dos mestres e não sabem que essas pessoas são os verdadeiros heróis sem capa da sociedade. Muitos se arriscam diariamente pelas estradas paulistas e brasileiras, enfrentam frio, chuva, tempestades, raios para chegar em suas escolas e lecionar. Muitos não almoçam direito porque não dá tempo, afinal precisam estar em aula e comer na hora certa se transforma num luxo gigantesco.

Há professores que apanham em classe, são vítimas de violência física, mental, ficam doentes por isso e ainda por cima são mal remunerados e quase sempre não reconhecidos pelos governos incompetentes que notadamente são eleitos por aqueles que chamam os profissionais da educação de vagabundos!

Gente, os professores são a glória de uma nação, toda vez que os encontramos deveríamos nos curvar e agradecer por nos transmitirem o saber, porque a formação é tudo o que homem pode levar para o futuro. Os professores são o exemplo mais bem acabado de que se dedicar pelo outro é o certo a se fazer.

O Brasil trata muito mal seus professores, o Brasil não olha para eles com respeito e carinho. Os políticos só mentem que vão valorizar a educação, pois essa é a área que sempre sofre cortes e falta de investimentos.

Há esperança? Sim, há. Ela sempre existirá enquanto os professores continuarem vencendo barreiras e enfrentando desafios.

Mas é duro constatar que quando um professor morre, a esperança de melhora da sociedade fica menor também.

Vá em paz Leandro e também estendo esse desejo as demais vítimas dessa tragédia. A tristeza neste sábado foi imensa, justamente porque sabemos que a educação em nossa região ficou extremamente pobre.

Renato Chimirri