Quarteto Brasileiro de Cordas In Concert encanta o público são-carlense

Espetáculo contou com a participação especial da bailarina, Ana Carolina Chieppe, do Balé Expressão

Por Mariucha Magrini

Teatro lotado após máxima adesão de público. Um espetáculo que reuniu espectadores de diversas idades, regiões da cidade, classes sociais e, principalmente, gostos musicais. Emocionante, vibrante, esses e tantos outros adjetivos permitiram ao público descrever o Concerto Brasileiro de Cordas In Concert, realizado nesta terça-feira (07), no Teatro Municipal de São Carlos “Dr. Alderico Vieira Perdigão”.

O Quarteto de Cordas, composto por músicos da OSESP (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo), encantou a plateia que reuniu mais de 400 pessoas, excedendo a capacidade máxima. O espetáculo teve início com músicas eruditas, partindo, em um segundo momento, para um show, segundo o líder do Quarteto, o organizador do grupo, Paulo Paschoal. De uma maneira muito descontraída, conduziu a plateia, informando alguns detalhes sobre a sequência do espetáculo, que teve início com músicas eruditas. Dentre os objetivos, apresentar para o público (composto inclusive por crianças) a música erudita e alguns clássicos que encantam concertos no mundo todo. Nesse momento houve a participação especial da bailarina são-carlense, Ana Carolina Chieppe, que integra os artistas do Balé Expressão, escola que muito colaborou para a realização do evento. Era o momento de cada espectador acessar o seu “eu” interior, “sentir a música”, permitindo relembrar memórias, exaltando seu lado reflexivo.

Quarteto de Cordas apresentou músicas eruditas, clássicas e ainda um repertório surpresa

Após a apresentação dos movimentos de uma ópera, Paulo brincou com o público que aquele não era o momento de aplaudir. “Após iniciar o show, sim. Chamo de show, porque tocamos músicas independentes e aguardamos os aplausos”, brincou.

Iniciava então a segunda parte do espetáculo, momento que, segundo Paulo, era a hora de se soltar e curtir. “Eu sinto o público e toco o que eles querem ouvir. O espetáculo é deles e existem momentos para tudo aqui”.

A segunda parte do espetáculo, portanto, o show, fez o público vibrar, com músicas conhecidas de todos, seguidos de clássicos de filmes, entre outras. Foram muitas as canções surpresas, mediadas por esses quatro músicos, cada um com um estilo e postura únicos.

O QUARTETO – A russa Elena atuando como segunda violinista agregou qualidade de som e de temperamento, por que não dizer uma abordagem mais firme, liderando o grupo em muitos momentos. Além disso, sua postura impecável e séria transmitiu toda a segurança que o público precisava. Na viola, o integrante também russo, Vladimir, desempenhou um papel fundamental, agregando ao grupo dos instrumentos de cordas um som mais grave, entre o violino e o violoncelo, trazendo equilíbrio para o espetáculo. Já o violoncelo foi representado pelo músico Renato de Sá, e que também integrou as melhores salas de concerto do país. Com a maior extensão de todos os instrumentos de cordas ali representados, a condução dada por este músico ao violoncelo proferiu um som gloriosamente intenso e rico, compondo a beleza das músicas tocadas.

O primeiro violinista, Paulo, conduziu o evento, interagiu com a plateia com tanta leveza e carisma que nem as “broncas” para que os espectadores fizessem silêncio, incomodou o público. Pelo contrário, os sons que emitiu através do seu violino auxiliou na condução de todos os outros instrumentos, com hierarquia, versatilidade, sem deixar de lado a sutileza.

APLAUSOS – O espetáculo chega ao final com o público aplaudindo em pé e clamando por mais músicas, o que foi atendido pelo grupo. Porém, aquele gostinho de “quero mais” ficou no coração do são-carlense. E que venham os próximos, “porque a população de São Carlos merece”, segundo Paulo. 

“Fiquei extremamente satisfeito com o evento, porque reuniu grande número de espectadores de diversos gostos musicais. Creio que conseguimos satisfazer a todos”, encerrou o violinista.

O evento foi promovido pela Prefeitura Municipal, por meio do CEMAC (Centro Municipal de Artes e Cultura), com o apoio do Teatro, Balé Expressão, Gráfica Pró-Cultural, Pizzaria Dom Quixote, demais colaboradores e toda a imprensa local.

Fotos: Fulvia Gilbertoni