Regina Dias inicia sua trajetória no The Voice+

Regina Dias se mostra uma fã incondicional e conhecedora da obra deixada por Elis Regina. “Casa no Campo trata-se de composição forte que exige interpretação apurada”, revelou.

A cantora de São Carlos contou sobre a escolha da música e os desafios que a levaram a estar no time da Ludmila no reality show

A cantora Regina Dias, experimenta novas sensações ao estar presente pela primeira vez em um “reality show”. A trajetória de 40 anos na música, calcada na MPB, abriu perspectiva para participação da edição 2022 do The Voice+ na rede Globo. Ela está no time da Ludmila.

A conquista da vaga foi com a música “Casa no Campo”, escrita por Tavito e Zé Rodrix e que fez sucesso na voz de Elis Regina em 1972. “Cantar músicas interpretadas por Elis Regina me faz sentir confortável uma vez que já venho realizando há anos, shows temáticos como o “Elis por Regina” que percorreu vários palcos do Brasil ”.

Regina Dias se mostra uma fã incondicional e conhecedora da obra deixada por Elis. “Casa no Campo trata-se de composição forte que exige interpretação apurada”, revelou.

O desafio de levar esta canção na estreia do The Voice+ foi uma escolha bastante ousada. Arriscou e petiscou uma vaga no reality show. “A escolha da música e da interpretação foram feitas para atingir e sensibilizar os técnicos com o objetivo de virarem as cadeiras, aprovando a minha inclusão no programa”.

A experiência, disse Regina Dias, trouxe um misto de sensações e expectativas que inevitavelmente abrigaram a ansiedade. Porém, tudo se aplacou com a satisfação de ter sido selecionada. As ambiguidades da vida colocaram na mesma balança, em pontos opostos, o nervosismo e a segurança adquirida nos anos de experiência profissional.

“Estar em um veículo de comunicação com alcance de milhões de espectadores e competir com cantores de diversos espectros da música brasileira despertou em mim um sentimento de pleno prazer. Tudo muito inovador e diferente”. A cantora ainda reforçou: “O programa, agrega a qualquer profissional da área uma visibilidade que poucos veículos alcançam. ”

Desafio

Regina Dias disse ter feito, a pedido da produção do The Voice+, uma relação de mais de 20 músicas prediletas que poderiam ser apresentadas no decorrer do programa. A lista refletiu canções de domínio que já estão no esteio de sua carreira e que compatibiliza com o propósito do programa.

“Não foi fácil optar pela seleção do repertório e deixar de fora inúmeras outras composições importantes e interessantes, que por vezes, retratam épocas e movimentos importantes da história da música brasileira”.

Regina fez relação de músicas

A trajetória de quatro décadas lhe trouxe experiências múltiplas e inúmeros desafios no palco. Com isto, veio o alicerce para a sua confiança no momento da apresentação. “Várias experiências me trouxeram amadurecimento e acrescentou muito para uma performance mais segura e profissional em cena”.

Afeto

Regina Dias se surpreendeu com a resposta imediata que recebeu do seu público após a participação no programa. Certa que a sua classificação lhe trouxe visibilidade como cantora, o que não deixa de ser um brinde à dedicação dos 40 anos de trabalho com a música, voltado a um público extenso e diversificado. “Impressionou-me a velocidade com que isso aconteceu em tão pouco tempo, desde o momento em que apareci na tela da TV. Esse grau de projeção e repercussão foi deslumbrante, fiquei maravilhada com a dimensão alcançada pela mídia, assim como as redes sociais”.

Regina recebeu manifestações calorosas de pessoas de várias partes do país, amigos, desconhecidos, curiosos, provando que a música é o instrumento natural de aproximação entre as pessoas. Houve avaliações favoráveis de críticos musicais, o que a estimulou a continuar na mesma trilha.

Perspectiva

Regina Dias não parou de produzir. Ao colocar os desafios no lugar certo, prontos para serem transpostos, a cantora disse que o momento está voltado em alcançar novas oportunidades de trabalho com a música, novos palcos, novos projetos, garantir, assim, a vitalidade e energia para executá-los.

Entre os projetos que recebem atenção está a realização de pequenas turnês nacionais e internacionais para apresentar a genuína MPB e a derivação mais moderna deste estilo, em outros países. “Gosto de cantar, de me embalar com a música, ter para quem cantar, produzir, criar novas propostas e me realizar do mais simples ao palco mais elaborado”.

Ela foi contemplada com a gravação de mais um álbum pelo edital do PROAC do governo de São Paulo. A produção está adiantada e a previsão de lançamento aponta para o meio do ano. “Será uma homenagem ao cantor, compositor Luis Vagner Guitarreiro, que é referência na black music, no samba-rock e no reggae brasileiro”.

Este trabalho já pode ser degustado com o single “Despertar” que já está disponível nas plataformas digitais de música. A canção foi oferecida por Luis Wagner a Regina, poucos meses antes de falecer. “Felizmente ele pode acompanhar a elaboração e o resultado da gravação. Foi um prazer receber a aprovação do arranjo e interpretação”.

Projetos de EP e um novo single estão em andamento, além de mais um novo álbum para 2023, que está em fase de seleção musical. “Almejo maior alcance entre as pessoas e penso que esse momento seja perfeitamente favorável”.

Histórico

Regina Dias tem três álbuns lançados: Fantástico Urbano (2014), Rasante (2017), A Música Cantada de Paulinho Nogueira (2019), considerados por ela registros importantes da carreira. Como vocalista do grupo Hamilton e Seus Estados gravou o álbum Cantos do Brasil (2004). Todos eles presentem em todas as plataformas digitais.