Risco de temporal aumenta na próxima semana em SP 

Mapa de chuva prevista para o dia 06/12. (Disponível em: Acumulado de chuva)

A primeira semana de dezembro termina com pouca chuva na maior parte dos dois estados, mas mudanças no tempo já são previstas.

A primeira semana de dezembro vai terminar com pouca chuva nos estados de São Paulo e Rio De Janeiro, porém mudanças no tempo já são previstas para os próximos dias, por causa da formação de um novo ciclone.

Novembro foi marcado por chuva volumosa em várias capitais

Tendência para o fim da semana

Entre a quinta e o fim de semana, há expectativa de algumas pancadas isoladas de chuva nas cidades de São Paulo que fazem divisa com Minas e Rio de Janeiro, como é o caso do Vale do Paraíba, Serra da Mantiqueira, norte e noroeste do estado. A chuva até pode vir com raios, de forma pontual, porém não há previsão para volumes muito elevados. Também chove no Noroeste e Região Serrana do Rio de Janeiro neste período, de forma isolada.

As capitais Rio e São Paulo ficam com variação de nuvens nos próximos dias, mas sempre com aberturas de sol. A sensação, na maior parte do tempo, é de abafamento. Por causa da infiltração marítima as noites e madrugadas ficam mais fresquinhas e nubladas.

No domingo volta a chover nas duas capitais, de forma isolada e é na segunda-feira que o tempo fica mais carregado e com risco de temporal .

Confira as máximas para os próximos dias:

São Paulo Rio de Janeiro

Próxima semana com temporais em SP e no RJ

Na próxima segunda-feira, 06 de novembro, a formação de um ciclone vai favorecer o aumento das condições de chuva forte sobre os dois estados. A previsão é de temporais por várias áreas do Sudeste, inclusive nas capitais São Paulo e Rio de Janeiro.

Sobre a Climatempo

Com solidez de 30 anos de mercado e fornecendo assessoria meteorológica de qualidade para segmentos estratégicos, a Climatempo é sinônimo de inovação. Foi a primeira empresa privada a oferecer análises customizadas para diversos setores do mercado, boletins informativos para meios de comunicação, canal 24 horas nas principais operadoras de TV por assinatura e posicionamento digital consolidado com website e aplicativos, que juntos somam 20 milhões de usuários mensais.

Em 2015, investiu na instalação do LABS Climatempo, no Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP), que atua na pesquisa e desenvolvimento de soluções para tempo severo, energias renováveis (eólica e solar), hidrologia, comercialização e geração de energia, navegação interior, oceanografia e cidades inteligentes. Em 2019, a Climatempo passou a fazer parte do grupo norueguês StormGeo, líder global em inteligência meteorológica e soluções para suporte à decisão, e dois anos depois, em 2021, uniu-se à Somar Meteorologia, formando a maior companhia do setor na América do Sul. A fusão das duas empresas impulsiona a Climatempo a ser protagonista global de fornecimento de dados e soluções para os setores produtivos do Brasil e demais países da América Latina, com capacidade de oferecer informações precisas de forma mais ágil e robusta.

O Grupo Climatempo segue presidido pelo meteorologista Carlos Magno que, com mais de 35 anos de carreira, foi um dos primeiros comunicadores da profissão no país.