Roselei vai propor criação do banco de medicamentos para São Carlos

Vice-prefeito Marcos Tuckumantel, vereador Natalino, prefeito Rodrigo Falsetti e vereador Roselei

O presidente da Câmara Municipal de São Carlos, vereador Roselei Françoso (MDB), esteve em Mogi Guaçu no sábado (16) para conhecer e participar da inauguração da “Farmácia de Todos”, um banco de medicamentos do município, cujo objetivo é o de receber doações e repassar às pessoas que não podem comprar.

“Fui convidado pelo meu amigo vereador Natalino, autor da lei que criou o banco de medicamentos, e fiquei muito feliz com essa iniciativa e com a união de esforços que a cidade de Mogi Guaçu fez para viabilizar a farmácia”, comentou Roselei.

“Eu já conhecia no papel porque estou com o projeto de lei preparado para ser protocolado em São Carlos, mas fiz questão de conferir pessoalmente o funcionamento e fiquei bastante entusiasmado”, explicou o presidente da Câmara.

Uma lei municipal instituiu o banco de medicamentos, que conta com a parceria da Prefeitura, que cede um farmacêutico, da Câmara e das Faculdades Municipal Professor Franco Montoro e Integradas Maria Imaculada (FIMI).

Para a coordenadora do curso de Farmácia da FIMI e diretora do Conselho Regional de Farmácia, a são-carlense, Danyelle Cristine Marini, “o projeto vai atender a população com um atendimento humanizado. A nossa preocupação é que a pessoa use da melhor forma o medicamento e, por isso, montamos um consultório farmacêutico para esse atendimento. Teremos uma farmacêutica no local e nossos estagiários do curso de Farmácia que estarão nesse projeto”.

“Vamos ajudar a aliviar a dor de quem não tem condições de comprar um medicamento”, comemorou o vereador Natalino Tony Silva. “O Legislativo tem que caminhar junto com o Executivo e temos uma Câmara que tem empatia”, observou o prefeito Rodrigo Falsetti. “A gente governa para todos, mas em especial para quem mais precisa”, salientou o prefeito.

A Farmácia de Todos funciona em uma sala das Faculdades Maria Imaculada, no Centro. Os medicamentos só serão disponibilizados aos moradores com receita médica. Além de fornecer, a unidade recebe doações de usuários, consultórios médicos, farmácias e distribuidores.

“Fiquei impressionado com a quantidade de doações, especialmente dos distribuidores. Eles receberam tantos medicamentos que destinaram uma parte para a África. Tudo é selecionado, catalogado e distribuído por meio de critérios farmacêuticos”, destacou Roselei.

De acordo com o presidente da Câmara, o projeto de lei será protocolado nos próximos dias e as conversas com os potenciais parceiros já estão em andamento. “Vamos conhecer a farmácia de Ribeirão Preto, que funciona neste mesmo modelo há 19 anos”, finalizou.