Santa Casa de São Carlos recebe projeto de energia solar de R$ 2,1 milhões da CPFL Paulista

1.166 placas fotovoltaicas foram instaladas pela CPFL Paulista na Santa Casa – Foto aérea cedida: K2 Drones

A Santa Casa de São Carlos inaugurou, nesta terça-feira, 28, as usinas fotovoltaicas do prédio principal e da Maternidade. A iniciativa, desenvolvida em parceria com a CPFL Paulista, faz parte do programa CPFL nos Hospitais e teve investimento de R$ 2,1 milhões na implementação do projeto. O sistema de captação de energia solar é composto por 1.273 placas fotovoltaicas, sendo 107 delas na Maternidade e 1.166 na Santa Casa.

“Nossa expectativa é economizar pelo menos R$ 700 mil reais por ano com a conta de energia. Além de nos ajudar na busca pela sustentabilidade financeira do hospital, a CPFL também está nos ajudando na sustentabilidade ambiental. Só temos que agradecer a esse apoio tão importante”, afirma o provedor da Santa Casa, Antônio Valério Morillas Júnior.

Na Maternidade, a usina foi instalada em abril de 2021, com 107 placas fotovoltaicas. E a Instituição já sentiu a diferença no consumo de energia. “De maio a agosto de 2021, o consumo de energia caiu pela metade se comparado ao mesmo período do ano passado, passando de 70.896,74 kWh para 35.989,85 kWh. Em outras palavras, se compararmos um período a outro, foram economizados 35.506,89 kWh, suficientes para abastecer a Maternidade por dois meses”, comenta o Engenheiro Eletricista e Coordenador de Engenharia Clínica e Manutenção Elétrica da Santa Casa, Vinicius Tibúrcio.

O Coordenador Vinicius Tibúrcio explica ainda que a redução no consumo trouxe também impacto na conta de energia. “O sistema é recente, mas já sentimos diferença. Se compararmos maio a agosto de 2021 com o mesmo período do ano passado, a economia foi de R$ 4.965,85. A redução de custos só não foi maior, em função das bandeiras tarifárias”, comenta.

No total, as duas usinas instaladas pela CPFL Paulista somam a potência de 465,08 kWp, o que equivale à energia consumida por 291 residências durante um mês, além de capacidade de geração anual de 689,3 MWh. O sistema evitará a emissão de 42,53 toneladas de CO2 na atmosfera – o mesmo que o plantio de 255 novas árvores.

“A ação está inserida no programa CPFL nos Hospitais, que destina recursos para a realização de projetos em instituições públicas e filantrópicas de saúde situadas nas cidades das áreas de concessão das nossas distribuidoras. O sistema implantado na Santa Casa de São Carlos foi o maior projeto na região central do Estado”, destaca o analista de Projetos da CPFL Paulista, Giulianno Bolognesi Archilli.

“Escolhemos a Santa Casa de São Carlos pela importância que o hospital tem para a saúde da região. A instituição, que completou 130 anos neste ano, é referência para os atendimentos de média e alta complexidade de seis municípios, uma população total de mais de 400 mil habitantes. E tem sido fundamental no enfrentamento da pandemia”, ressalta Elidiane Aparecida Bernardi do Prado, Consultora de Relacionamento da CPFL Paulista.

CPFL nos Hospitais. O programa conta com três frentes de trabalho: ações de eficiência energética, investimento em humanização hospitalar e melhorias, além de um programa de doação em conta de energia para hospitais.

Primeiro pilar – conta com investimento de até R$ 150 milhões nas quatro distribuidoras do Grupo (CPFL Paulista, CPFL Piratininga, CPFL Santa Cruz e RGE) para atender cerca de 300 instituições de saúde até o final do projeto.

Mais de 130 hospitais públicos e filantrópicos dos Estados de São Paulo e Rio Grande do Sul já contam com ações de eficiência energética promovidas pelo programa CPFL e RGE nos Hospitais. As obras concluídas até junho de 2021 representarão uma economia de cerca de R$ 9 milhões anuais nas contas de luz das instituições, que poderão implementar esse valor em melhorias no atendimento à população.

Do total previsto, a CPFL Energia já investiu R$ 95,6 milhões nessas obras, que englobam a substituição de mais de 78 mil lâmpadas comuns por modelos de tecnologia LED, além da implementação de usinas fotovoltaicas com potência total instalada de 9,3 MWp. Os sistemas vão proporcionar uma economia de energia elétrica estimada de 19,5 GWh ao ano, o que equivale ao consumo de 8.238 residências de médio porte anualmente, e ainda evitará a emissão de 1.466 toneladas de CO2 na atmosfera – o mesmo que o plantio de 8.795 novas árvores.

Entre as instituições beneficiadas em São Paulo estão: Hospital de Amor, em Barretos; Hospital de Base de São José do Rio Preto (FUNFARME); Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Vinhedo; Santa Casa de Araraquara; Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto; Santa Casa de Ibitinga; Hospital Nestor Goulart Reis, de Américo Brasiliense, Hospital de Clínicas da UNICAMP, em Campinas. Já no Rio Grande do Sul, receberam o projeto o Hospital de Caridade de Santo Cristo, em Santo Cristo; a Santa Casa de Caridade de Uruguaiana; Hospital Centenário de São Leopoldo, a Santa Casa de Misericórdia de Santana do Livramento; a Fundação de Saúde Pública de Novo Hamburgo; a Associação Franciscana de Assistência, de Gramado; e o Hospital de Caridade de Erechim.

Segundo pilar – compreende projetos endossados pelo Instituto CPFL divididos em dois eixos: humanização e melhorias. Em humanização, os investimentos objetivam tornar o ambiente hospitalar mais leve e descontraído para pacientes, familiares e profissionais de saúde, agregando brincadeiras, humor e contação de histórias. O eixo de investimentos em melhorias atua na infraestrutura e na aquisição de equipamentos com foco no atendimento oferecido por hospitais públicos. Este eixo também apoia a formação, o treinamento e o aperfeiçoamento de recursos humanos em todos os níveis, além da realização de pesquisas clínicas, epidemiológicas, experimentais e socioantropológicas.

Em 2020, em uma ação especial de combate à COVID-19, o Instituto CPFL coordenou a destinação de R$ 5 milhões de reais em insumos médicos, beneficiando 20 hospitais, além de doar mais R$ 1 milhão ao programa “Salvando Vidas”, do BNDES.

Na temporada 2021 do Instituto CPFL, a frente CPFL e RGE nos Hospitais está presente em 28 instituições de 18 diferentes cidades

Terceiro pilar – permite aos clientes realizar doações para as instituições de saúde por meio da conta de energia. Isso aumenta a arrecadação dos hospitais, permitindo investimentos na melhoria das condições de atendimento. Por meio da CPFL Total, empresa que faz a gestão de doações via conta de energia, R$ 4,2 milhões foram doados por clientes das distribuidoras do grupo a 105 hospitais.

Reconhecimento. Em 2021, o programa CPFL e RGE nos Hospitais foi reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) como um exemplo de boa prática ligada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). O reconhecimento se deve à integração dos indicadores ambientais, sociais e econômicos gerados pelo CPFL e RGE nos Hospitais, que contribuem diretamente para os ODS, como garantir a distribuição de energia acessível, sustentável e moderna e promover o bem-estar e vida saudável a todos. O presidente da CPFL Energia, Gustavo Estrella, é embaixador pelo programa Liderança com Impacto da ONU.

O programa CPFL e RGE nos Hospitais faz parte do pilar Valor Compartilhado do plano de sustentabilidade da empresa, que prevê aplicar até 2024 mais de R$ 1,8 bilhão para impulsionar a transição para uma forma mais sustentável e inteligente de produzir e consumir energia, maximizando impactos positivos na comunidade e na cadeia de valor, além de reduzir os impactos gerados pela natureza do seu negócio.

Sobre a CPFL Energia. A CPFL Energia, há 108 anos no setor elétrico, atua nos segmentos de distribuição, geração, transmissão, comercialização e serviços. Desde 2017, o Grupo faz parte da State Grid, estatal chinesa que é a segunda maior organização empresarial do mundo e a maior empresa de energia elétrica, atendendo 88% do território chinês e com operações na Itália, Austrália, Portugal, Filipinas e Hong Kong.

Focada em uma forma mais sustentável de produzir energia, tem na CPFL Renováveis a maior empresa de geração da América Latina a partir de fontes alternativas, com um portfólio baseado em fontes limpas como grandes hidrelétricas, usinas eólicas, térmicas a biomassa, Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH) e usina solar. Em geração é a terceira maior agente privada do País, com capacidade instalada de 4.303 MW.

Com 14% de participação, a CPFL Energia é uma das maiores empresas no mercado de distribuição, totalizando mais de 10 milhões de clientes em 687 cidades, entre os estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná. Na comercialização, é uma das líderes no mercado livre, com participação de mercado de 4%. É líder na comercialização de energia incentivada para clientes livres entre as comercializadoras.

A CPFL Energia possui ações listadas no Novo Mercado da B3. O Grupo também ocupa posição de destaque em arte e cultura, entre os maiores investidores brasileiros, por meio do Instituto CPFL.