São Carlos: a cidade que corre de não eleger nenhum deputado estadual novamente

Nuvens se formando/Foto: Luis Gonçalves Neto

Sabe por que São Carlos terá extrema dificuldade e talvez não eleja (é o mais provável) nenhum deputado estadual em 2022? Porque aqui a direita é canibal não sabe atuar em conjunto ( vivem brigando entre eles), são chorões e mimados e a esquerda é deslumbrada e desorganizada, não entenderam o sentido de unidade em torno de uma candidatura tão fundamental neste momento. Sendo assim, continuaremos dependendo de outros deputados e deputadas que o máximo que fazem é mandar artigos de opinião ridículos para os órgãos de imprensa da cidade. Eu recebo vários, todas as semanas.

Não dá também para contar com os vereadores, pois todos tem seus comprometimentos políticos com deputados de seus partidos e que são de outros municípios. Sob a desculpa de que estão ajudando São Carlos, os vereadores conseguem algumas emendas e assim precisam hipotecar seu apoio para o cacique partidário que ouviu “suas preces” durante o período de pedidos.

O xadrez eleitoral em que São Carlos está metida no que diz respeito ao cargo de deputado estadual é dar inveja, afinal de contas perdemos a identidade com a Assembleia Legislativa e nos tornamos um município despachante, ou seja, que está sempre com um pires na mão pedindo alguma coisa a alguém.

E isso tem muito da culpa dos políticos locais que nunca souberam caminhar na unidade e por um projeto de cidade, sempre viram a política como um feudo, um local a ser dominado e não a ser construído, São Carlos na política é fruto do coronelismo que vem desde a fundação da cidade em 1857.

Pouca coisa mudou, seja com políticos de direita ou de centro-esquerda no poder, todos eles foram personalistas e preferiram cultivar sua própria imagem do que investir na formação de novos líderes que sucedessem essas pessoas e dessem uma renovada fundamental para a política local. São Carlos parou no tempo, tanto é que nem faz jus ao título de Capital da Tecnologia, se fosse realmente toda essa pujança estaria revertida em benefício da sociedade, mas não, a maioria do que produzimos na academia, lá fica e ninguém sabe o que está sendo feito.

Isso é culpa da política, de gente que vota porque fulano mandou (e falta consciência para as pessoas em todas as classes sociais sobre a importância de se conhecer o candidato e suas ideias), com isso não evoluímos como sociedade e hoje corremos o risco de termos uma penca de candidatos a deputado estadual e assim os votos serão divididos e caminharemos mais uma vez para flagrante derrota que nos imporá a mesma situação: ficar pedindo recurso para deputado que nem sabe onde fica São Carlos.

Enquanto os políticos locais forem vaidosos e incompetentes a cidade continuará com ar de feudo, um ar meio arrogante, mas inoperante, diga-se de passagem.

Renato Chimirri