São Carlos envergonha cidade na A3, é rebaixado e deveria se espelhar no exemplo da Ferroviária

É duro para um são-carlense como eu, por razões óbvias, dizer que o São Carlos FC deveria mirar-se no exemplo da Ferroviária de Araraquara para tentar se reorganizar, não é? Pois bem, eu trabalhei na imprensa da cidade vizinha quando a AFE estava na extinta B1, a antiga Vitaminada, e vi que o clube passou por muitos problemas. Porém, com uma tradição infinitamente superior ao São Carlos FC no futebol, a equipe grená se transformou numa Sociedade Anônima, conseguiu crescer e foi abraçada por sua cidade, ao lado de um trabalho competente de sua diretoria. Araraquara é Ferroviária e Ferroviária é Araraquara. Precisa dizer mais?

Aqui em São Carlos a situação é vexatória, esse time que caiu hoje já foi rebaixado há tempos, pois desde o início do campeonato tem um elenco de qualidade técnica sofrível que nunca conseguiu se acertar em campo e para piorar, esse São Carlos Futebol Clube, infelizmente para os seus torcedores, nunca foi abraçado pela cidade de São Carlos, pelos políticos locais e muito menos pelo empresariado são-carlense. O São Carlos ao longo de sua trajetória nunca empolgou o torcedor como deveria.

A situação é tão verdadeira que uma brincadeira minha nas redes sociais ontem teve muita repercussão. Disse que o Red Bull deveria sair de Campinas e não ir para Bragança Paulista, mas vir para cá, pois nossa cidade é muito mais importante e pujante que a capital da linguiça. Evidente que estava apenas brincando, mas sem dúvida se isso acontecesse, talvez a cara do futebol profissional no município mudasse.

Esse time do São Carlos não conseguiu ainda tocar a alma do povo da cidade e atual diretoria deixou muito a desejar. Diante do caixão fechado, do rebaixamento consumado, do desânimo estampado no rosto daqueles que ainda são corajosos e vão ao Luizão demonstrar seu amor pelo clube cabe perguntar: O que fará o presidente e sua diretoria? Sairão do clube? Ou ficarão aqui e dirão que vão tentar a reconstrução em 2020?

Na minha modesta avaliação se todos pedissem demissão poderia haver uma chance desse clube se reorganizar de uma outra forma, não me pergunte qual, mas parece que esse seria um caminho menos espinhoso. O futebol profissional são-carlense está morto de uma forma que talvez não seja possível que ressuscite mais.

Vejo também que a imprensa local sempre entrevista o ex-presidente Julio Bianchini e noto que alguns tem esperança de que ele volte para o cargo. Não me empolgo com isso também, acho que seria pouco provável que desse certo, apesar da melhor fase do clube ter sido em suas mãos. Um retorno seria algo para se observar. Ele sairia do clube novamente?

O futuro não é bom, neste momento é preciso ter cabeça fria e simplesmente parar e pensar alguma alternativa, inclusive aquela de não se ter mais futebol. Uma pena, mas hoje é um dia muito triste para o esporte são-carlense. É duro ter que escrever esse tipo de texto.

Renato Chimirri