São Carlos não elegeu nenhum deputado porque a política local é medíocre

São Carlos não elegeu nenhum deputado estadual e também federal. Isso não é nenhuma novidade numa cidade onde políticos disputam a eleição para os legislativos estadual e federal como se estivessem cacifando seus respectivos nomes para o cargo de vereador num próximo pleito municipal.

A quantidade de candidatos em São Carlos, pelo menos 15 a estadual, mostrou que temos diversas correntes políticas, a maioria parecida, mas que tem interesses difusos perante o eleitorado e isso é ruim, sobretudo porque aponta para uma realidade: não teremos ninguém eleito na cidade enquanto os caciques políticos não sentarem e conversarem com respeito entre si.

Os políticos locais adotam a tática predatória, preferem dividir a votação num colégio eleitoral pequeno e assim eliminar as chances de alguém que possa ser bem votado e se esquecem que teremos a presença de outros candidatos que vem de municípios diferentes arrancar um votinho aqui e outro ali.

Mais um problema, esse  não apenas para São Carlos, mas para o resto do Brasil é a quantidade de candidatos ligados a igrejas, um mal, pois o Estado é laico e assim deve ser, altar, púlpito e templo são armas espirituais e não devem ser confundidas com política, contudo essa é outra discussão que o país precisará fazer com coragem talvez não num futuro próximo, mas em algum tempo, antes que a democracia entre num colapso irreversível.

Os candidatos de São Carlos demonstraram nessa eleição que são pequenas peças no xadrez político estadual e federal. Aqui faço um adendo para falar da não eleição do deputado Lobbe Neto. Dava para sentir nas ruas que o tucano ficaria de fora nessa eleição, pois não víamos a volúpia de outros pleitos em seus eleitores, o trabalho de Lobbe no Congresso nesse mandato também foi aquém do esperado e o PSDB que se apequenou consideravelmente levou o deputado a ser derrotado de maneira clamorosa nas urnas. O destino político de Lobbe é incerto, se Doria vencer no Estado poderemos tê-lo em alguma secretaria ou cargo estadual? É uma possibilidade, se a direita ganhar o governo federal o PSDB fará parte de um eventual mandato de Bolsonaro? Lobbe poderia ser galgado a algo? Ou ele poderia sair candidato a prefeito pelo seu partido nas próximas eleições em São Carlos?

O mais bem votado para estadual na cidade foi Julio Cesar. Uma campanha que se esperava, certamente, uma votação maior devido ao nível de exposição, mas que acabou também prejudicada na cidade com a divisão de votos. Nada fora do esperado.

Para o campo progressista surge a liderança de Djalma Nery, menino educado, professor e especialista em agricultura popular. Djalma teve votação surpreendente para muitos, foram 13.044 votos e hoje ele se consolida como a maior liderança do PSOL em São Carlos. Aliás, o PSOL em termos legislativos saiu muito maior do que entrou nesse pleito de 7 de outubro. Vale o registro que Souza Jr, do PSL, teve 12.917, um resultado importante para o seu partido na cidade.

São Carlos, a cidade universitária, se continuar com essa política mesquinha ficará sem parlamentares nas casas legislativas mais importantes por um longo tempo. É preciso que melhoremos o nível dos políticos ou eles tragarão a cidade para um abismo desastroso.

Renato Chimirri