Se importe, as pessoas precisam

Não é feio se importar, se incomodar pelo outro. Não é errado querer saber, buscar para ter informação, procurar encontrar uma resposta. As vezes as pessoas se calam porque ninguém pergunta, em muitos casos as angústias impedem que alguém se manifeste e assim amores são perdidos, amizades são desfeitas, relações de anos são desperdiçadas. O silêncio é importante, porém se todos se calarem não teremos mais diálogos, situações erráticas não serão mais corrigidas, o congraçamento acabará.

Estamos tão silenciosos e atônitos com tantas mortes nestes tempos difíceis que parece que não ligamos mais para ninguém. Deixamos pessoas especiais ficarem quietas, aos poucos elas vão murchando, desaparecendo, saindo de nossas vidas e talvez não seja isso o que desejávamos naquela época, entretanto nos faltou coragem para falar, para se importar, para pegar na mão, dar uma opinião, ser luz.

Precisamos demais ligar para o outro, ser presente é ser luz, e dar apoio é semear esperança. Não dá para deixarmos todo mundo sozinho, refletir um pouco faz muito bem, contudo não há verdade neste história que todo mundo é uma ilha. Podemos até precisar de um tempo para nossa mente, mas jamais podemos deixar de procurar o nosso semelhante, de indagar se ele está bem.

Há muitas formas de se dizer um eu te amo, algumas são: você comeu? Está doendo ainda? A dor passou? Você tomou o remédio? Quando chegar você me liga, ok? Quer almoçar comigo? Vamos dar uma caminhada em algum dia desses?

Gestos, gente! Atitudes simples podem ser o verão no inverno de alguém. Nós nunca saberemos o que uma pessoa está pensando, todavia poderemos tentar decifrar, ajudar, compreender, sentir e até mesmo apenas ouvir.

Se importar pode consistir apenas em ficar do lado, sem falar nada, mas ser presente. Estar de corpo e alma, colocar amor no que se faz, se doar, é disso que a humanidade está precisando. Hoje somos mais amigos de nossos celulares do que das pessoas, não há motivo para deixarmos que as coisas fiquem assim. O celular neste tempo é um meio, não um fim.

Somos feitos de carne e osso, de sentimentos profundos e nestes tempos de pandemia é fundamental manter a distância em dado momento, porém é mister estarmos presentes na medida do que for permitido.

Alguém pode estar precisando de você neste momento. Se importe, pois a pessoa merece, mesmo que ela ache que não.

Renato Chimirri

Imagem de SimsalabimSabrina por Pixabay