Secretário fala da situação dos leitos em hospitais de São Carlos e da flexibilização das atividades comerciais

Chegada dos 5000 testes para coronavírus. Guarulhos - SP, 30/03/2020. Fotos: Divulgação/MS

O secretário de Saúde, Marcos Palermo, falou sobre a situação dos leitos em São Carlos em meio à pandemia de COVID-19. Ele explicou que graças ao trabalho desenvolvido a cidade tem uma situação relativamente confortável nessa área. “Temos 44 leitos no Hospital Universitário, são 10 leitos de UTI que nos foram entregues na sexta-feira, é preciso agradecer a EBSEHR pelo trabalho realizado e agora pleiteamos mais 16 leitos de UTI na Santa Casa, sendo 10 para adultos e seis pediátricos, na Santa Casa temos 24 leitos de enfermaria, ou seja, são 68 leitos de enfermaria em São Carlos”, disse.

Na rede particular, segundo Palermo, são mais 35 leitos. “Não há ocupação total, acredito que a demanda na rede privada seja até menor que a nossa, mas precisamos trabalhar com segurança para oferecer estrutura para a população, pois se estamos discutindo uma flexibilização, a mesma só poderá acontecer se existir uma estrutura na área de saúde, porque assim as duas vertentes, economia e saúde, conseguem caminhar juntas”, observa.

Palermo disse que o governo municipal reconhece que aumentaram as dificuldades econômicas por conta da pandemia de COVID-19 e a consequente paralisação das atividades, ele defende o debate e o aumento da estrutura para que a questão de afrouxamento nas regras seja colocada em prática, mas sempre com o apoio e fundamentação da ciência. “Vemos cidades praticamente com o esgotamento na área de saúde, como em São Paulo que tem quase 90% dos leitos ocupados, não queremos isso aqui, por isso trabalhamos para dar melhor qualidade na saúde”, pondera.

Marcos Palermo enfatizou que a Prefeitura realizou até agora 653 exames para detectar a COVID-19 pelo método PCR e também 58 testes rápidos. “Esses exames permitem um mapeamento e que possamos dar uma qualidade de atendimento, além de demonstrar se essa pessoa precisa ou não estar num leito hospitalar de enfermaria ou UTI, mesmo que o paciente esteja estabilizado, ele será acompanhado, posso dizer que o isolamento social é crucial nesse momento”, diz.

De acordo com o secretário, a Prefeitura tem acompanhado todos os pacientes testados positivos, os que tem sintomas de COVID-19 e aqueles com síndrome gripal. Dependendo da gravidade do quadro a pessoa pode ser internada ou apenas ficar em sua casa isolada em caso de testagem positiva, mas se o caso for negativo, o paciente recebe o tratamento adequado para o tipo de gripe que o mesmo tem.