Semana começa muito quente, mas frente fria deve avançar em SP

Inverno vem chegando/Maurício Duch

A semana começa com a atuação de uma massa de ar seco e quente sobre o Sudeste do Brasil, mas ao longo da semana o tempo vai mudar em algumas áreas com o avanço de uma nova frente fria.

Calor e ar seco

A segunda-feira vai ser um dia marcado por bastante sol e calor na maior parte do Sudeste. As temperaturas sobem rapidamente e as máximas vão ficar bastante elevadas. Nas capitais São Paulo e Belo Horizonte, as máximas ficam em torno dos 34°C nesta segunda. Pelo interior de São Paulo e Minas, valores de 35 a 39°C devem ser registrados.

O interior dos dois estados segue em atenção devido ao calor intenso e o ar extremamente seco. O risco de queimadas permanece elevado.

Estado de São Paulo tem o maior número de queimadas em 11 anos

Só entre o litoral sul e a Baixa Santista que o céu fica com mais nuvens e as temperaturas ficam mais baixas. Mesmo assim, não há expectativa de chuva. Há chance de uma chuva isolada e rápida entre o norte do Rio De Janeiro e o litoral do Espírito Santo, porém os acumulados serão baixos.

Nova frente fria avança

Uma nova frente fria, associada a um ciclone extratropical, avança pela Região na terça-feira. Este sistema já vai aumentar a quantidade de nuvens no sul e leste de São Paulo e também no Rio de Janeiro. O litoral paulista segue o dia com bastante nebulosidade e a chuva acontece a partir da tarde. O sol ainda aparece e esquenta bastante em regiões como a Grande SP, Sorocaba, Itapetininga, Campinas, Vale do Paraíba e o Grande Rio, mas voltam as condições para pancadas isoladas de chuva. Em geral, a chuva acontece a partir da tarde, mas em muitas cidades a chuva só deve chegar à noite, como é o caso das capitais São Paulo e Rio de Janeiro.

Ar mais úmido e frio

Entre quarta e quinta-feira, a umidade fica mais elevada e as temperaturas diminuem. Não há condições para frio intenso, mas o calor vai diminuir bastante e a sensação volta a ser de um pouco de frio em algumas regiões. A chuva chega também ao sul e leste do estado de Minas Gerais e ao Espírito Santo.

A passagem dessa frente fria não vai trazer grandes volumes de chuva que sejam capazes de reverter a seca no interior da Região. Os volumes também não são expressivos para a agricultura e para o abastecimento dos reservatórios. Mas, de qualquer forma, ajuda a limpar um pouco a atmosfera. A chuva e o vento vão auxiliar na dispersão dos poluentes sobre a faixa leste do Sudeste, com isso a qualidade do ar fica melhor em relação aos dias extremamente quentes e secos.

Mar agitado

A atuação de um ciclone extratropical vai deixar o mar agitado em grande parte do litoral do Brasil ao longo dos próximos dias. Do Sul ao Nordeste há expectativa de agitação marítima nesta semana.

Sobre a Climatempo

Com solidez de 30 anos de mercado e fornecendo assessoria meteorológica de qualidade para segmentos estratégicos, a Climatempo é sinônimo de inovação. Foi a primeira empresa privada a oferecer análises customizadas para diversos setores do mercado, boletins informativos para meios de comunicação, canal 24 horas nas principais operadoras de TV por assinatura e posicionamento digital consolidado com website e aplicativos, que juntos somam 20 milhões de usuários mensais.

Em 2015, investiu na instalação do LABS Climatempo, no Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP), que atua na pesquisa e desenvolvimento de soluções para tempo severo, energias renováveis (eólica e solar), hidrologia, comercialização e geração de energia, navegação interior, oceanografia e cidades inteligentes. Em 2019, a Climatempo passou a fazer parte do grupo norueguês StormGeo, líder global em inteligência meteorológica e soluções para suporte à decisão, e dois anos depois, em 2021, uniu-se à Somar Meteorologia, formando a maior companhia do setor na América do Sul. A fusão das duas empresas impulsiona a Climatempo a ser protagonista global de fornecimento de dados e soluções para os setores produtivos do Brasil e demais países da América Latina, com capacidade de oferecer informações precisas de forma mais ágil e robusta.

O Grupo Climatempo segue presidido pelo meteorologista Carlos Magno que, com mais de 35 anos de carreira, foi um dos primeiros comunicadores da profissão no país.