Separação entre Brigada e Bombeiros traz mudanças para corporações de Ijuí

“A separação entre Brigada Militar e Corpo de Bombeiros, a partir deste ano, é uma iniciativa que será benéfica para ambas as corporações”. O entendimento é do capitão Augusto de Albuquerque Moura, do 12º Batalhão do Corpo de Bombeiros, com sede em Ijuí.

Com a separação, ficará mais claro o papel de cada corporação. Os bombeiros, por exemplo, terão o foco em atividades de busca e salvamento e coordenação de ações de defesa civil. A BM, por sua vez, focará somente nas funções previstas na Constituição.

Atualmente, quem responde pela 2ª Companhia de Polícia Militar é a capitão Paula Rabenschlag Zill, residente em Palmeira das Missões.

O capitão Moura lembrou que a Constituição Federal de 1988 já previu a existência da polícia militar e de corpo de bombeiros militar de forma independente. Até recentemente, somente os estados de São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul permaneciam com a integração.

Em recente entrevista à Rádio Sorriso FM, o capitão Moura fez questão de destacar que, independente do número de ocorrências que esteja sendo registrado, o bombeiro militar precisa estar sempre a postos e apto a encarar qualquer tipo de evento que seja de sua área de atuação.

“Toda ocorrência que envolve vidas é muito delicada, principalmente porque a ação do bombeiro deve ser rápida e eficaz, e nossos treinamentos diários são neste sentido”, ressaltou Moura.

O capitão ressaltou que são realizadas diversas atividades de prevenção junto a comunidade, bem como o programa “Bombeiro na Escola”, que deve ser implantado em um número cada vez maior de municípios da região.

Colaboração: Jornalista Hugo Schmidt