Situação do prédio da ETEC Paulino Botelho é vergonhosa e mostra desmazelo do governo estadual

Forro desabou

É vergonhosa a situação em que se encontra o prédio da ETEC Paulino Botelho. Uma escola de 90 anos e que nunca recebeu uma reforma sequer já dá a demonstração de como ao longo dos anos os governos estaduais trataram e tratam a educação em São Paulo. O prédio viu desabar seu forro, ovos, pombas mortas, sujeira, algo que simplesmente é inconcebível. Hoje a ETEC está nas mãos da tal Fundação Paula Souza que é vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, portanto aqui fica uma pergunta para quem estiver nessa função executiva: vocês não sentem vergonha quando veem uma escola nessa situação?

Escola é local sagrado, de encontro, de troca de experiências e isto pode não pode acontecer em um prédio deteriorado, cheio de rachaduras, com locais insalubres para funcionários desenvolverem suas atividades, pois se eles não conseguem trabalhar direito, isso reflete no atendimento ao aluno, razão de ser de qualquer instituição de ensino.

Aliás, ensino nunca foi prioridade para esses governos, mas a propaganda de que está tudo bem parece que sim. Desta forma, a situação da ETEC Paulino Botelho é insustentável e a comunidade escolar merece respeito e sobretudo atendimento por parte dos órgãos governamentais.

É claro que depois dessa destruição vexatória que vem sendo mostrada pela imprensa, foram anunciados reparos, mas por que os anseios da diretoria da escola não foram atendidos antes? Por que deixar chegar a esse ponto? Qual o zelo que se tem pelo que é público? Hoje estamos diante de um governo estadual que adora privatizar, se diz liberal, mesmo que esse liberalismo seja meio esquisito, porém esse mesmo governo colocou um pedágio na SP 318, rodovia que liga São Carlos até Ribeirão Preto e que tem apenas uma pequena parte duplicada e para piorar temos um outro pedágio na SP 255. Sendo assim, o são-carlense paga duas vezes para ir até Ribeirão Preto, mas uma das escolas mais tradicionais da cidade está caindo aos pedaços. Sei bem que são secretarias diferentes, situações diferentes, mas aqui fica evidenciada qual é a prioridade e pelo jeito a educação não está sendo, pois o prédio da ETEC Paulino Botelho está em péssimas condições.

Passou da hora de vermos soluções, aliás, aqui fica uma pergunta para um político local que na época da inauguração do AME na cidade chamou um colega meu de imprensa de “viúva do PT”: o senhor já viu como está a situação da escola Paulino Botelho? Não é coisa de viúva, mas merece atenção. Aliás, onde estão os políticos da cidade para falar deste descaso? Todos calados, como sempre fazem.

Renato Chimirri