Suicídio é tema de palestra em Estrela

Uma palestra seguida de uma rodada de conversa, aberta a perguntas e posicionamentos, foi realizada no início da tarde desta quarta-feira (27/09), no plenário da Câmara de Vereadores de Estrela. Ministrada pela psicóloga do Centro de Atenção Psicossocial (Caps) de Estrela, Maria Angélica Hartmann Graff, ela fechou a programação do Setembro Amarelo no município, mês dedicado ao combate ao suicídio. Dezenas de pessoas, ligadas ou não às áreas de atuação na saúde do município, participaram do bate-papo que trouxe importantes pontos na prevenção dos casos de suicídio, que apresentam números alarmantes na região, e de valorização da vida.

De acordo com a psicóloga, que também tem pós-graduação em Recursos Humanos e especialização em Saúde Mental, o suicídio deve ser tratado como um problema que está sempre presente, com índices que colocam o Rio Grande do Sul e também os vales do Taquari e Rio Pardo no topo do ranking de ocorrências. “Ter um bom emprego, uma bonita casa e uma família não é garantia de que a pessoa não possa buscar o suicídio. Todos os dias, 24h por dia, devemos combater o suicídio, e isso em Estrela é feito, de janeiro a janeiro”, destaca. Participaram funcionários e profissionais das Unidades Básicas de Saúde, agentes de saúde, do Hospital Estrela e outros profissionais que atuam na assistência às famílias e pessoas com potencial suicida. Profissionais da Secretaria Municipal da Educação também marcaram presença.

Para a palestrante Maria Angélica Graff, a prevenção e a valorização da vida são questões fundamentais no combate ao suicídio. “A gente nunca sabe quando alguém vai querer morrer, mas podemos identificar sinais. Por isso temos que sempre trabalhar a prevenção. Nos últimos dias focamos de maneira mais intensa isso nas comunidades, nos grupos familiares e nos grupos de estudo e de apoio, mas aqui temos um trabalho constante realizado ao longo de todo o ano, com o apoio das Unidades Básicas de Saúde, dos agentes de saúde, do hospital e outros profissionais na assistência às famílias e pessoas com potencial suicida”, explica. Mais informações pelo 3981-1050.