Supermercados deverão restringir o número de pessoas dentro dos estabelecimentos em São Carlos

Reunião com donos de supermercados

A orientação foi repassada durante reunião do Comitê Emergencial de
Combate ao Coronavírus, em virtude da grande procura pelas compras de
final do ano.

Diante do anúncio do Governo do Estado na última terça-feira (22), sobre
as novas restrições do Plano São Paulo com a Fase Vermelha, que
determina que entre 25 e 27 de dezembro e 1 e 3 de janeiro, somente
atividades essenciais poderão funcionar, o Comitê Emergencial de Combate
ao Coronavírus, esteve reunido com representantes de supermercados da
cidade para a colaboração no controle da entrada dos clientes nos
estabelecimentos e o cumprimento dos protocolos sanitários contra a
transmissão da Covid-19.

Presidiram a reunião, o coordenador do Comitê Emergencial de Combate ao
Coronavírus, Mateus Aquino, a chefe da Vigilância Sanitária, Fernanda
Cereda, a Diretora do Procon de São Carlos, Juliana Cortes, o Secretário
Municipal de Segurança Pública e Defesa Social, Samir Gardini e o
diretor de Fiscalização da Secretaria de Habitação, Rodolfo Tibério
Penela.

Diante o encontro ficou decidido que os supermercados não devem
ultrapassar o máximo de 1 pessoa para cada 4 metros quadrados de área
livre do imóvel, com capacidade total controlada pelo estabelecimento.
Deverá cada estabelecimento evitar filas no lado externo, sendo
inclusive, recomendado haver o controle no estacionamento dos locais
para evitar filas desnecessárias com aglomerações de pessoas.

Os referidos locais poderão vetar a entrada de acompanhantes, inclusive
crianças, salvo nos casos previstos em legislação específica. Poderão
ser fornecidas senhas nos estacionamentos de veículos para evitar
aglomerações. Os supermercados, dependendo da falta de algum produto
específico, limitar a quantidade de venda de qualquer produto, desde que
devidamente comunicado e avisado em local visível aos clientes.

De acordo com a diretora do Procon, a cooperação do setor é fundamental
para que não sejam alvos de fiscalização. “Com o fechamento dos
estabelecimentos comerciais não essenciais, o movimento será maior nos
supermercados. Nossa preocupação é com as aglomerações que isso pode
gerar”, disse Juliana Cortes.

Além do controle do número de clientes dentro desses estabelecimentos, a
chefe da Vigilância Sanitária, Fernanda Cereda, também lembrou que esses
locais devem continuar com os protocolos contra a doença. “Precisamos da
colaboração dos supermercados tanto no controle do acesso, como também,
na aferição da temperatura dos clientes na hora da entrada, que hoje é
exigido por meio de uma portaria estadual. Não podemos deixar de cobrar
a higienização dos carrinhos e o distanciamento para não colocar os
clientes e os funcionários em risco.”

Após a reunião também ficou deliberado uma operação a ser realizada pela
força tarefa do município nos próximos dias. “Vamos fazer uma operação
para intensificar as vistorias em bares, restaurantes e supermercados,
justamente cobrando o cumprimento das regras e as restrições que
determina a fase vermelha do plano São Paulo.”, disse o diretor de
Fiscalização, Rodolfo Tibério Penela.

A força tarefa, comandada pela Secretaria Municipal de Segurança Pública
e Defesa Social, também conta com o apoio da Polícia Militar, Guarda
Municipal, Departamento de Fiscalização da Secretaria Municipal de
Habitação e Desenvolvimento Urbano, Procon e Vigilância Sanitária. De
acordo com Samir Gardini, o trabalho de fiscalização é pautado na
orientação. “Trabalhamos sempre com a orientação dando prioridade para
os casos mais críticos de descumprimento das regras. Nós pedimos a
colaboração de todos os segmentos com as restrições da Fase Vermelha. Em
caso de descumprimento, as pessoas podem fazer denúncias”.

Para o coordenador do Comitê Emergencial de Combate ao Coronavírus,
Mateus Aquino, a conscientização é muito importante nesse momento. “Os
supermercados devem seguir as regras de atendimento, mas as pessoas
também devem ter a conscientização da situação que o município enfrenta
com a Covid. Então, ao ir ao supermercado pedimos que evitem ir em
várias pessoas, que respeitem os limites impostos, e que todos se cuidem
para impedirmos o máximo a transmissão da doença neste momento”,
concluiu o coordenador do Comitê.